Vice de Marina garante que candidatura não foi jogada de marketing

Portal Terra

S O PAULO - O candidato à vice-presidência de Marina Silva (PV), Guilherme Leal, afirmou que aceitar o convite para compor sua chapa não foi uma jogada de marketing. "Se eu não tivesse me preparado, até espiritualmente, teria tomado essa sua pergunta como ofensa", respondeu Leal ao questionamento feito pela jornalista Vera Magalhães durante o debate Folha-UOL, nesta terça-feira.

O empresário, um dos fundadores da Natura, defendeu a empresa. "Depois de 40 anos, eu e meus companheiros de Natura não precisamos fazer esse tipo de jogada", disse.

Leal explicou o que o motivou a entrar na política. "Dar esse passo complexo foi uma decisão de empreender na vida política, transformar meu entusiasmo nesse momento de oportunidade que o Brasil está vivendo".

O vice de Marina disse estar "valendo a pena" seu investimento. "Estou muito satisfeito e continuo muito entusiasmado, apesar do sacrifício que isso implica para o cidadão Guilherme Leal", disse. Ele destacou ainda a oportunidade de participar de debates. "Eu acho que não dá para passar por um processo de escolha do futuro discutindo o passado. Nós temos que discutir o país que nós queremos", afirmou.

O candidato aproveitou ainda a oportunidade para alfinetar a ausência de Dilma Rousseff (PT) no debate realizado pela Rede Canção Nova/ Aparecida realizado na noite desta segunda-feira. "Lastimo a ausência de Dilma no debate de ontem, porque ela desperdiçou uma oportunidade de se mostrar. Esse é um ato cívico muito importante", ponderou.