Balanço de pagamentos tem superávit de US$ 5,5 bi em agosto

O balanço de pagamentos brasileiro registrou superávit de US$ 5,5 bilhões em agosto deste ano, segundo nota de Setor Externo, divulgada nesta sexta-feira pelo Banco Central (BC). No período, as transações correntes tiveram déficit de US$ 4,9 bilhões, no acumulado dos últimos 12 meses o déficit é de US$49,7 bilhões, equivalente a 2,13% do PIB.

A balança comercial ficou superavitária em US$3,9 bilhões em agosto. A conta financeira registrou ingressos líquidos de US$9,9 bilhões. Destacaram-se, entre os ingressos líquidos de recursos, os investimentos estrangeiros diretos, US$5,6 bilhões; os créditos comerciais de curto prazo, US$4,9 bilhões; e os empréstimos de longo prazo, US$3,1 bilhões. Entre as saídas líquidas de recursos, ressaltaram-se as concessões de empréstimos de curto prazo a não residentes, US$3,9 bilhões.

Por sua vez, a conta de serviços registrou déficit de US$3,4 bilhões no mês, 33,9% acima do registrado em igual período de 2010. As despesas líquidas com viagens internacionais totalizaram US$1,3 bilhão, com aumentos de 46% nos gastos de brasileiros no exterior e de 23,8% nos gastos de estrangeiros no País.

As remessas líquidas de renda para o exterior atingiram US$ 5,5 bilhões, 81,6% acima do resultado de agosto de 2010. Enquanto que as transferências unilaterais correntes acumularam ingressos líquidos de US$230 milhões no mês, com diminuição de 2,1% em relação ao mesmo mês do ano passado. 

Os investimentos brasileiros diretos no exterior registraram retornos líquidos de US$305 milhões no mês. As saídas de recursos destinados a aumento da participação no capital de empresas estrangeiras somaram US$529 milhões, enquanto as amortizações líquidas recebidas de empréstimos intercompanhias atingiram US$834 milhões.

Os investimentos estrangeiros diretos somaram ingressos líquidos de US$5,6 bilhões em agosto, ante US$6 bilhões em julho. Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram ingressos líquidos de US$77 milhões, ante US$4,4 bilhões no mês anterior. Os investimentos em ações negociadas no País registraram ingressos líquidos de US$49 milhões. Os investimentos em títulos de renda fixa negociados no País apresentaram ingressos líquidos de US$94 milhões, comparados a saídas líquidas de US$335 milhões em julho.

Os outros investimentos brasileiros no exterior totalizaram aplicações líquidas de US$3 bilhões em agosto, compreendendo a concessão líquida de empréstimos de curto prazo, US$3,9 bilhões; redução de ativos de bancos no exterior, US$1,3 bilhão; e a constituição de ativos de demais setores, US$523 milhões.

E os outros investimentos estrangeiros no País registraram ingressos líquidos de US$6,5 bilhões no mês passado.