Crescem apostas para alta de 0,50 ponto da Selic

As apostas em torno de mais um aumento em 0,50 ponto percentual da Selic nos atuais 11,75% ao ano ganharam mais um elemento nos negócios de hoje: declarações feitas pelo presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, em Washington. Além disso, os investidores estão em alerta após anuncio de dados econômicos robustos e inflação mais alta na China.

Reginaldo Galhardo, gerente da Treviso avalia que uma política mais austera para conter a inflação é a preocupação dos investidores neste momento e pode reacender as dúvidas com a recuperação do crescimento das grandes economias mundiais.

Diante de um cenário de incertezas em relação à inflação global, a cautela foi à palavra de ordem nos principais mercados mundiais, com os investidores se desfazendo de ativos que embutem maior grau de risco e buscando proteção.

Os agentes financeiros monitoraram as declarações do presidente do BC. Tombini disse em Washington que o Brasil está no meio de um ciclo de aperto monetário e que ainda há muito a ser feito para evitar que o fluxo excessivo de capitais que entra no país e a consequente pressão inflacionária coloque em risco a estabilidade financeira.

Segundo fontes do mercado, as declarações de Tombini contribuíram para que muitos investidores e economistas invertessem suas apostas de alta de 0,25 ponto percentual da Selic para 0,50 ponto na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) agenda para o dia 19 e 20 de abril. Mas há ainda uma fatia do mercado projetando alta de 0,25 ponto dos juros.

Na agenda do dia, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) IGP-10 recuou para 0,56% no mês de abril, ante 0,84% apresentada em março. O resultado veio abaixo do esperado pelo mercado financeiro.