Notícias externas animam e Ibovespa valoriza 1,54%

A BM&FBovespa registrou ganhos nesta quinta-feira, dando continuidade ao processo de recuperação. A aversão ao risco foi deixada de lado pelos investidores diante das expectativas em relação à ajuda financeira para a Irlanda, indicadores norteamericanos e notícias chinesas. Em meio ao ambiente, o Ibovespa avançou 1,54%, aos 70.781 pontos. O giro financeiro da sessão terminou em R$ 6,528 bilhões.

Novamente as atenções do mercado voltaram-se para o velho continente. A expectativa de que a Irlanda aceite a ajuda financeira que será oferecida pela União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou o ânimo dos agentes. Hoje, o diretor do Banco Central irlandês, Patrick Honohan, afirmou que as negociações com a União Europeia (UE) e com o Fundo Monetário Internacional (FMI) podem levar a um empréstimo de "dezenas de bilhões" para seu país.

Soma-se a isso, o fato do governo chinês prever medidas para conter a alta no preço das commodities, tal como a elevação da oferta de alimentos, subsídios para famílias de baixa renda e medidas para estabilizar os preços no mercado. "Como não engloba nenhuma medida de política monetária, auxiliou os negócios", afirmou João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos.

Ainda na cena externa, os indicadores dos Estados Unidos também ajudaram no viés positivo do dia. O número de pedidos de auxílio-desemprego avançou em 2 mil na semana passada, para 439 mil solicitações. O dado veio melhor do que o esperado pelos analistas, que previam expansão para 442 mil pedidos. E o índice que avalia os indicadores antecedentes subiu 0,5% em outubro de 2010, para 111,3, em linha com o estimado.

No âmbito doméstico, as tradicionais blue chips Vale e Petrobras exerceram pressão positiva no índice acionário. As preferenciais da mineradora cresceram 2,35% e da estatal petrolífera avançaram 1,76%. As cotações foram em sintonia com os preços do petróleo no mercado internacional.

Dentre as maiores altas do Ibovespa finalizaram os papéis da América Latina Logística (ON) (+4,01%), Brasil Telecom (PN) (+1,22%) e Cosan (ON) (+2,98%). Na contramão, ficaram Marfrig (ON) (-1,60%), Cemig (PN) (-0,03%) e Lojas Americanas (PN) (-0,45%).

Segundo Danilo Cocchia, sócio da ON Investimentos, a notícia de que a presidente eleita Dilma Rousseff decidiu convidar Guido Mantega a permanecer no Ministério da Fazenda na nova gestão colaborou para os ganhos do dia.