IBGE: sul e sudeste perdem participação no PIB em seis anos

As regiões sul e sudeste perderam participação no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, de acordo com pesquisa do IBGE divulgada nesta quarta-feira. Os Estados do sudeste do País perderam 0,4 ponto percentual em 2008, em relação ao ano anterior. De 2002 a 2008, a região perdeu 0,7 ponto percentual. Já o Sul, apresentou decréscimo de 0,3 ponto percentual nos seis anos.

A região sul, no entanto, manteve a mesma participação no PIB em 2008, em comparação com o ano anterior, cerca de 16,6%. As demais regiões vêm ganhando participação desde 2002, de forma que a concentração geográfica do PIB vem diminuindo no Brasil.

Na série 1995-2008, a região Nordeste foi a que mais ganhou participação no PIB brasileiro, com acréscimo de 1,1 ponto percentual no período, concentrado entre 1995 e 2002 (0,9 ponto percentual). Entre 2002 e 2008, ganhou 0,1 ponto percentual de participação.

As regiões Norte e Centro-Oeste mantiveram ganhos no mesmo patamar nos dois intervalos considerados: 0,5 ponto percentual e 0,4 ponto percentual no nordeste e 0,4 ponto percentual em ambos os períodos no Centro-Oeste.

Na série de 1995 a 2002, a região sudeste perdeu 2,4 pontos percentuais, valor bem acima do registrado na série de 2002 a 2008, de 0,7 ponto percentual. A Estado de São Paulo, apenas, deixou de contribuir com 37,3% do PIB nacional, em 1995, para somente 33,1% em 2008, redução de 4,2 pontos percentuais.

"A indústria de transformação paulistana, que participou com 43,7% do total da atividade em 2008, perdeu 5,0 pontos percentuais de participação entre 1995 e 2008, o que foi impulsionado por investimentos regionais, pela guerra fiscal e pela procura de mão-de-obra mais barata em outras unidades da federação", afirmou o IBGE em relatório.

Dentre os estados do Sul, apenas Rio Grande do Sul perdeu participação no PIB entre 1995 e 2008 (-0,5 ponto percentual), embora a do Paraná tenha caído 0,1 ponto percentual entre 2002 e 2008 por causa da forte seca na região entre os anos de 2004 e 2006. A perda, no entanto, não foi suficiente para sobrepor o ganho de 0,3 ponto percentual entre 1995 e 2002. Santa Catarina ganhou participação tanto entre 1995-2002 como entre 2002-2008, 0,3 ponto percentual em cada período.

Segundo o relatório do IBGE, a perda de participação do Rio Grande do Sul ocorreu a partir de 2004 em função de fortes secas que perduraram por três anos e o resultado do setor agropecuário afetou as demais atividades econômicas.

A atividade agropecuária gaúcha perdeu 0,1 ponto percentual de participação na atividade nacional em toda a série, sendo que entre 2002 e 2008 a perda foi de 1,0 ponto percentual. Ainda, a indústria de transformação gaúcha, que representava 19,9% da economia do estado em 2008 contra 24,5% em 1995, perdeu 1,4 ponto percentual de participação na atividade nacional entre 1995 e 2008.