TSE avalia positivamente eleições simuladas

S O PAULO, 24 de agosto de 2010 - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que no último sábado (21) 26 tribunais regionais eleitorais (TREs) realizaram eleições simuladas para testar todos os sistemas e programas que serão utilizados nas eleições gerais de outubro. Em 19 estados, eleitores previamente cadastrados simularam votos na urna com leitor biométrico. Na avaliação do TSE, os eventos foram um sucesso.

Com exceção do Mato Grosso, todos os demais estados e o Distrito Federal promoveram eleições simuladas, nas quais foram testados desde o cadastro dos eleitores, passando pelo ato de votar, até a totalização dos resultados. Os testes foram feitos nas sedes dos cartórios ou zonas eleitorais com a participação de servidores da Justiça Eleitoral e voluntários.

Em alguns estados, como no Ceará, também foram testados o voto em trânsito, para os cargos de presidente e vice-presidente, e a votação paralela. Este procedimento é uma espécie de auditoria de verificação das urnas eletrônicas, realizada no dia das eleições com a participação de representantes de partidos políticos, da Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público.

Em São Paulo, todas as 426 zonas eleitorais participaram das eleições simuladas. No Paraná, o evento foi promovido em 174 zonas. No Distrito Federal, todos os 21 cartórios eleitorais realizaram os testes. Em Tocantins, os eventos ocorreram em todos os municípios que são sedes de zonas eleitorais, totalizando 35 localidades.

Nos estados onde os eleitores puderam ensaiar a votação na urna com leitor biométrico foi avaliada a eficiência do sistema, uma novidade do processo eletrônico de votação. Os testes mostraram, porém, a necessidade de ajustes para corrigir inconsistências na geração dos softwares do leitor biométrico. Também foi detectada a necessidade de intensificar o treinamento dos mesários especificamente em relação aos procedimentos de identificação digital. Cabe ressaltar ainda, que algumas atividades profissionais podem causar desgastes nas impressões digitais, tais como mineração, pesca, garimpo e construção civil. Entretanto nenhum eleitor deixará de votar em relação de dificuldade na leitura das digitais. Bastará que se identifique pela forma tradicional.

O objetivo do TSE com a realização das eleições simuladas foi justamente testar todos os programas e componentes do sistema eletrônico de votação brasileiro, a fim de identificar possíveis instabilidades nos softwares e fazer os ajustes devidos a tempo para que as eleições de outubro transcorram da melhor forma possível.

(Redação - Agência IN)