BB assina acordo para venda eletrônica de carne bovina

S O PAULO, 24 de agosto de 2010 - Foi assinado, nesta segunda-feira (23), na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, um convênio entre a Bolsa Brasileira de Mercadorias (BB&M) e o Banco do Brasil (BB) com o objetivo de financiar as negociações de gado pelo sistema de Compra e Venda Eletrônica de Carne Bovina. A linha de crédito especial é destinada aos frigoríficos, visando equacionar as dificuldades das pequenas indústrias em fazer a antecipação do pagamento ao produtor, tal como o previsto nas normas para a negociação pela Bolsa.

Lançado oficialmente em abril deste ano, na Federação da Agricultura e Pecuária de MS (FAMASUL), o sistema de comercialização eletrônica de gado oferece igualdade de condições para os frigoríficos, mas exige o depósito antecipado de 90% da transação como garantia da operação. Através deste convênio, assinado pelo presidente da BB&M, Joaquim Ferreira, da BM&FBovespa, Edemir Pinto, do diretor das duas casas, Ivan Wedekin, e pelo vice-presidente de agronegócios do BB, Luis Carlos Guedes Pinto, o comprador poderá financiar o valor da antecipação através do Banco do Brasil.

A oferta de crédito era demanda dos pequenos e médios frigoríficos para viabilizar a antecipação do pagamento. Para o vice-presidente regional da BB&M, Carlos Dupas, o convênio permitirá aos pequenos produtores a operação em igualdade de condições com as indústrias de maior porte. O presidente da Comissão de Pecuária de Corte da Famasul, José Lemos Monteiro, confia no crédito como um passo definitivo na consolidação das operações na Bolsa. "O apoio a ser dado aos frigoríficos menores é o estímulo que faltava para alavancar a venda eletrônica", assegura.

(Redação - Agência IN)