Petróleo e inflação preocupam investidores na Ásia

SÃO PAULO, 20 de maio de 2008 - As principais praças acionárias na Ásia fecharam em queda nesta terça-feira, com os investidores da região novamente preocupados com os avanços nos preços do petróleo e com a alta da inflação nas economias do continente.

O índice Nikkei 225 de Tóquio caiu 0,76%, para 14.160,09 pontos. O indicador Kospi de Seul recuou 0,64%, para 1.873,15 pontos. Em Hong Kong, o índice referencial Hang Seng subiu 0,48%, para 25.742,23 pontos. Já na China, o indicador Xangai Composto perdeu 0,54%, para 3.604,76 pontos.

Os investidores asiáticos temem que os avanços nos preços do petróleo elevem as pressões inflacionárias sobre as economias da região, afetando os gastos dos consumidores e os lucros corporativos. Nas operações eletrônicas da Ásia, o barril norte-americano encerrou o dia cotado a US$ 127,07, com leve alta de US$ 0,02 em comparação ao último fechamento em Nova York e próximo do recorde de US$ 127,82 observado ontem.

Os avanços nos preços da commodity ocorrem após a declaração do presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Chakib Khelil, que reafirmou ontem a intenção do cartel em não elevar sua produção. Além disso, a espera pelos dados sobre os estoques de petróleo nos Estados Unidos, previstos para serem divulgados amanhã, também colaboram para a alta do barril.

Entre as petrolíferas, as ações da Inpex Holdings caíram 0,71%, enquanto os papéis da australiana Woodside Petroleum perderam 2,39%. Já os títulos da PetroChina em Xangai diminuíram 3,40%. Os investidores aproveitaram o dia para realizar lucros, já que as ações destas companhias registraram ontem fortes altas.

A desvalorização do dólar ante o euro e o iene, somada a perspectiva de que a inflação nas economias da Ásia poderá afetar o gasto dos consumidores, provocaram a queda nos papéis de companhias exportadoras. Os títulos da Sony e Toyota, por exemplo, recuaram 0,39% e 1,09%, respectivamente.

No cenário corporativo, as ações da China Mobile, maior operadora de telefonia celular do mundo, anunciou hoje uma queda na quantidade de clientes. As ações da companhia fecharam com baixa de 2,90%. Já no setor financeiro, os papéis do australiano Macquarie Group caíram 7,34%, apesar da instituição financeira divulgar um aumento de 23% no lucro líquido do ano fiscal de 2007, encerrado em 31 de março, para US$ 1,7 bilhão.

Após o fechamento da Bolsa de Tóquio, o Mitsubishi UFJ Financial, maior instituição financeira nipônica, anunciou um lucro líquido de 322 bilhões de ienes (US$ 3,1 bilhões) entre janeiro e março de 2008, registrando um crescimento de 69% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Nesta terça-feira, as ações do banco encerraram o dia com queda de 2,68%.

O mercado japonês foi influenciado também pela decisão do Banco do Japão (BoJ, central), que manteve inalterada a taxa básica de juros, atualmente fixada em 0,50% ao ano, conforme o previsto pelos analistas. Após uma reunião de dois dias em Tóquio, a decisão do Comitê de Política Monetária do BoJ foi unânime ao não alterar a taxa interbancária.

(Marcel Salim - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais