Taxas sobem no curto prazo e volume de negócios aumenta

SÃO PAULO, 17 de abril de 2008 - As projeções de juros de curto de curto embutidas nos contratos de Depósitos Interfinanceiros (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) fecharam sinalizando avanço e com volume de negócios expressivo em relação aos últimos dias. No longo prazo as taxas recuaram.

O DI de julho deste ano, o mais negociado, registrou taxa de 11,82%, ante 11,65% do ajuste anterior. Este contrato teve 915,8 mil negócios fechados e giro de R$ 89,5 bilhões. O contrato de DI com vencimento em maio ficou em 11,63% ao ano, contra 11,46% do último fechamento, com 193,3 mil negócios e giro de R$ 19,2 bilhões. Junho registrou juro anual de 11,64%, contra 11,49% do ajuste, com 399,9 mil contratos fechados.

Para resgate em janeiro de 2009 a taxa ficou em 12,64%, contra 12,52% do ajuste anterior, com 703,8 mil negócios e giro de R$ 64,6 bilhões. Janeiro de 2010 fechou com juro anual de 13,32%, ante 13,36% do ajuste anterior. Este contrato teve 490,3 mil contratos fechados e giro de R$ 39,6 bilhões.

O contrato de janeiro de 2012 registrou taxa anual de 13,38%, ante 13,47% do ajuste de ontem, com 116,9 mil negócios e giro de R$ 7,3 bilhões.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)