Rio vive epidemia de dengue, diz Secretário

SÃO PAULO, 20 de março de 2008 - O secretário de Saúde do Rio, Sérgio Cortes, disse hoje que o estado vive uma epidemia de dengue, ao considerar "oportuna" a criação do gabinete de crise anunciada ontem (19) pelo Ministério da Saúde. "Estamos em um momento de epidemia de dengue. Temos que trabalhar nas ações de controle e de assistência, e é o que temos feito. Já trabalhamos diariamente com os secretários [de Atenção à Saúde, José Noronha, e de Vigilância Sanitária, Gerson Penna, que vão atuar junto com o governo fluminense no gabinete], mas agora vamos ter a presença física deles. Isso vai ser importante para agilizar alguns processos, algumas autorizações, que até então precisavam ser enviadas para Brasília e agora vão poder ser resolvidas daqui mesmo", disse.

Segundo a nota divulgada ontem (19) pelo Ministério da Saúde, a primeira tarefa do gabinete é levantar as necessidades de pessoal para trabalhar em caráter de emergência e definir as exigências na atenção à saúde da população de risco.

Segundo Cortes, uma reunião que estava marcada para a próxima segunda-feira (24), com a participação dos secretários de Saúde do estado e dos municípios da Baixada Fluminense, poderá ser antecipada para amanhã (21).

O secretário disse que é suficiente a atuação de 1.200 homens do Corpo de Bombeiros que estão trabalhando no combate às larvas da dengue, principalmente no bairro de Jacarepaguá, na zona oeste, que concentra o maior número de casos da doença.

Cortes informou que a secretaria deve criar nos próximos dias uma central de atendimento telefônico, pelo 0800, para receber denúncias da população sobre locais com focos do aedes aegypti, que serão checadas e combatidas pelos bombeiros.

O secretário disse que só na próxima quarta-feira (26) as Forças Armadas devem se posicionar sobre a possibilidade de ceder leitos de suas unidades de saúde ao atendimento de pacientes com dengue. Até agora, segundo ele, não houve nenhum entendimento sobre o assunto.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)