Livro propõe reformas no setor

SÃO PAULO, 19 de março de 2008 - No livro A previdência injusta - Como o fim dos privilégios pode mudar o Brasil, o economista e jornalista inglês Brian Nicholson estabelece uma ligação entre a previdência e a injustiça social no Brasil. O autor propõe uma Nova Previdência, igual para todos, com uma breve transição para reduzir o canal entre ricos e miseráveis. Outro ponto abordado por Nicholson versa sobre como resolver o problema fiscal. ´A grande maioria dos brasileiros, pelo menos que eu conheço, percebe que mora numa sociedade injusta. Não gosta dessa desigualdade tão grande. Mas o que as pessoas não percebem é que os privilégios escondidos na previdência reforçam essa desigualdade. Contudo, não são a única causa, longe disso´, explica o autor.

Nicholson faz questão de reforçar que o assunto previdência deve estar na pauta de todos, principalmente dos jovens. ´Toda a sociedade deve estar empenhada em debater este assunto. Isto significa um debate entre 180 milhões de habitantes e não apenas 5 ou 6 milhões de pessoas debatendo por todos. Previdência não é um assunto para velho. É um tema que deve ser debatido, preferencialmente, pelo jovens pois se as coisas não se acertarem, o jovem de hoje vai contribuir durante 20 ou 30 anos e quando chegar o momento de usufruir deste benefício, ele não o conseguirá fazer´, avalia.

Ainda sobre este debate, o autor acredita que ele deve ser calcado em princípio e não em ideologias. ´O dinheiro público pertence igualmente a todos os cidadãos. Outra observação: contribuição do cidadão é dinheiro do cidadão e não público. A questão deve gerar em cima do percentual que o governo completa nos gastos da previdência´, analisa o economista.

Para Nicholson, o gasto desproporcional na previdência proporciona menos para educação, menos para saúde e mais na previdência. ´Não é por acaso que o Brasil é tão desigual, e os privilégios da previdência constituem uma das razões que hoje reforçam essa desigualdade´, comenta o autor. Todavia, para conseguir consertar os problemas da previdência Nicholson aconselha: ´Talvez não seja necessária uma, mas, várias reformas da previdência´.

(Angela Ferreira - InvestNews)