Dólar acompanha instabilidade externa e sobe

SÃO PAULO, 19 de março de 2008 - O dólar operou com forte volatilidade nesta manhã, acompanhando a falta de tendência dos mercados internacionais. No fim da primeira etapa, a divisa estrangeira subiu 0,53%, vendida a R$ 1,702. Os investidores voltam a temer pela solvência e liquidez dos bancos.

Há rumores de que o banco inglês de hipotecas, HBOS, esteja em dificuldades, após a forte demanda por empréstimos do Banco da Inglaterra nesta semana, o que pesa sobre os negócios na Europa. Em Wall Street, informações de que Lehman Brothers adquiriu financiamento junto ao Federal Reserve aumentam a aversão ao risco.

O que ajuda a acalmar os ânimos é o balanço do banco norte-americano, Morgan Stanley. A instituição reportou lucro líquido de US$ 1,551 bilhão no primeiro trimestre fiscal - número 42% inferior ao registrado no mesmo período de 2007, mas, ainda assim, acima das expectativas de analistas. Ontem, os dados também acima do previsto dos bancos Goldman Sachs e do Lehman Brothers sustentaram um clima otimista até o desfecho da reunião do Fed. O BC dos EUA promoveu uma redução dos Fed Funds de 0,75 ponto percentual, para 2,25% ao ano, e cortou a taxa de redesconto para, a mínima em três anos, 2,50%, oferecendo uma ajuda aos bancos, o que contribui para sustentar o ambiente mais ameno.

Os investidores também analisam as medidas de redução da exigência de capital para as empresas hipotecárias. O governo norte-americano diminuiu as limitações para a Fannie Mae e a Freddie Mac, empresas que têm um grande papel no financiamento de hipotecas, a fim de que elas tenham participação ainda maior no setor de empréstimo imobiliário.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)