Company pode estudar proposta de fusão, diz diretor

SÃO PAULO, 22 de fevereiro de 2008 - O processo de consolidação do mercado de construção é inevitável, na opinião do diretor financeiro da incorporadora e construtora Company, Luiz Rogelio Rodrigues Tolosa. "Este vai ser o ano da consolidação, pois já contamos com 21 empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Para a Company, não há problema em discutir fusões e aquisições. Estamos abertos para isso", avalia.

No entanto, segundo Tolosa, o mais interessante para a empresa seria uma fusão com outra companhia do mesmo porte. "É mais provável uma fusão com outra igual do que uma aquisição vinda e cima para baixo", acredita

As ações da Company registraram valorização de 121,9% desde quando começaram a ser negociadas, após a oferta pública inicial (IPO) em março de 2006. Neste mesmo período, o Ibovespa subiu 63,1%. O volume médio mensal negociado aumentou 27,9% desde o IPO, de R$ 51,9 milhões para R$ 66,4 milhões.

Há pouco, os papéis da Company (CPNY3 ON) caíam 3,07%, para R$ 16,09.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)