Bovespa fecha acima de 65 mil pontos pela primeira vez

REUTERS

RIO - A Bolsa de Valores de São Paulo encontrou fôlego para subir mais de 1 por cento nesta segunda-feira e bater novo recorde, mesmo depois da alta de 3,1 por cento no final da semana passada.

Em uma sessão de poucos indicadores econômicos, o ânimo veio da aposta em um corte do juro norte-americano e da alta dos preços de commodities, que impulsionou os carros-chefes da bolsa paulista, Petrobras e Companhia Vale do Rio Doce .

O principal indicador da Bovespa encerrou com valorização de 1,2 por cento, a 65.044 pontos, mas na máxima do dia chegou a bater 65.670 pontos. Com isso, o ganho do Ibovespa no ano atingiu 46,25 por cento.

- Estou com 67 mil, 68 mil pontos (como próximas resistências) mas acho que pode surpreender até uns 72 mil pontos no final do ano - disse Fernando Góes, analista gráfico da Win, braço de home broker da corretora Alpes.

- Olhando o Ibovespa ele parece esticado, mas olhando lá fora, ainda tem espaço para subir. A alta forte (do Ibovespa) pode trazer alguma realização pontual, mas não altera em nada (a tendência de alta) - complementou.

Analistas esperam que o Federal Reserve corte o juro dos Estados Unidos em 0,25 ponto esta semana, o que aumenta a atratividade de investimentos mais arriscados, como o mercado acionário. Alguns não descartam até um corte de 0,5 ponto.

Enquanto o Ibovespa acumula alta de quase 80 por cento em dólar este ano, o Dow Jones exibe valorização de apenas 11,3 por cento.

Nesta segunda-feira o Dow Jones avançou 0,46 por cento. Já o índice de principais ADRs brasileiros subiu 2 por cento, enquanto o índice de ações emergentes do Morgan Stanley teve ganho de 2,1 por cento.

O volume financeiro da sessão ficou em 7,4 bilhões de reais, bem acima da média diária do ano, de 4,4 bilhões de reais. O papel mais negociado foi Petrobras que subiu 2,43 por cento, para 72,83 reais, beneficiada pelo preço do petróleo, que fechou no maior patamar da história, acima de 93 dólares.

Vale ficou com o segundo maior giro e teve alta de 4,56 por cento, para 55 reais, seguindo rivais internacionais como Rio Tinto e BHP, que subiram mais de 1 por cento cada. Os papéis da mineradora ficaram com a terceira maior alta do Ibovespa.

Na ponta oposta, as ações da Light despencaram 11,22 por cento, para 31,80 reais, com investidores decepcionados com o resultado da companhia.

- O resultado da Light no terceiro trimestre de 2007 foi fraco e veio abaixo de nossas estimativas - afirmou o analista Renato Pinto em relatório.

- Em termos financeiros a Light continua progredindo através da renegociação de seus recebíveis, porém em termos operacionais os resultados demonstram que a reestruturação trará benefícios apenas no longo prazo - complementou.

Os papéis da Bovespa, que não pertencem ao Ibovespa, caíram 8,55 por cento nesta sessão, para 32 reais, com giro de 776 milhões de reais, terceiro maior da bolsa, à medida que investidores aproveitaram para colocar o lucro no bolso. As ações saltaram mais de 50 por cento em sua estréia na sexta-feira.

Outros três papéis estrearam na bolsa paulista nesta segunda-feira: a incorporadora Helbor, a empresa de planos de saúde Amil e a consultora imobiliária Brasil Brokers . A primeira fechou estável, a 11 reais, mas as outras duas subiram mais de 13 por cento cada.