Atenções voltam se para agenda externa

SÃO PAULO, 29 de outubro de 2007 - O investidor tem pela frente uma semana reduzida, por conta do feriado de Finados, na sexta-feira, e fraca de indicadores internos. Os principais eventos novamente vêem de fora, dentre eles, o principal, a reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA). As apostas de analistas concentram-se em um corte de, pelo menos, 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros americana, atualmente em 4,75% ao ano.

Internamente, os investidores acompanharam a divulgação do boletim Focus, onde os analistas consultados pelo Banco Central reduziram suas estimativas para a inflação em 2007, no entanto, mantiveram inalteradas as projeções para a taxa de crescimento do País e o juro em dezembro. Segundo o documento, o mercado reduziu a projeção para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) para esse ano de 3,91% para 3,86%. Para 2008, o mercado manteve as projeções da alta dos preços em 4,1%. Já a projeção do mercado para o crescimento da economia em 2007 permanece estável, em 4,70%. As apostas dos analistas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) para 2008 também ficaram estáveis, em 4,40%. Os analistas mantiveram a projeção de que a taxa Selic encerrará dezembro em 11,25% ao ano.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) as projeções de juros dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) apontam estabilidade na curva de curto prazo e queda no de longo prazo. O DI de janeiro de 2009, o mais negociado, aponta juro anual de 11,37%, ante 11,43% ao ano.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)