Energisa capta US$ 150 mi em operação do BID

SÃO PAULO, 25 de abril de 2007 - A Energisa conseguiu hoje aprovação para a captação equivalente a US$ 150 milhões por meio de operação conjunta com Itaú BBA e do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID). Por meio de uma Cédula de Crédito Bancário (CCB), a empresa recebeu o empréstimo do Banco Itaú com vencimento em dez anos e custo de CDI mais 0,7% ao ano. Nessa operação, o banco local repassará os recursos em moeda nacional e o BID será o garantidor da linha de crédito frente ao Itaú BBA. Por conta dessa garantia, o BID receberá uma remuneração anual de 0,7%, elevando assim o custo total anual da operação para CDI mais 1,4% anual. "Essa é a primeira iniciativa do BID para garantir refinanciamentos de dívidas no mercado latino americano, assumindo o risco da moeda do país da empresa financiada. Para a Energisa, holding de cinco distribuidoras de energia elétrica e duas geradoras, foi uma excelente oportunidade para melhorar ainda mais o perfil da sua dívida", diz o vice-presidente Financeiro da Energisa, Maurício Botelho.

Com a emissão do CCB, a Energisa substituirá vencimentos previstos para os próximos três e cinco anos por uma operação de 10 anos. Ao final do exercício de 2006, o endividamento líquido consolidado da Energisa, que assumiu o papel de holding do grupo, após incorporação de ações da Companhia Força e Luz Cataguazes Leopoldina, era de R$ 1,7 bilhão. A operação estruturada com Itaú BBA e BID propiciará importante alongamento do perfil da dívida, tendo em vista as características de prazo só encontradas no mercado externo, porém aqui com a relevante vantagem de não agregar risco cambial, pois é um empréstimo local. Maurício Botelho explica que a "melhoria da economia brasileira e o bom desempenho da Energisa nos últimos anos, abriram boas oportunidades de refinanciamento da dívida".

No caso do CCB, a empresa conseguiu taxas de juros competitivas considerando o prazo da transação, graças à garantia do BID. "O rating da operação foi o mesmo do multilateral, que é AAA.

(ID - InvestNews)