MARCAS

Korin lança 'mel sustentável' que 'protege as abelhas'

Por MARCAS JB com Bem Viver
[email protected]

Publicado em 28/02/2024 às 14:50

Alterado em 28/02/2024 às 14:50

Abelhas que produzem o mel Korin não são tratadas com antibióticos Foto: Divulgação

A qualidade e a origem do mel são determinantes para garantir seus inúmeros benefícios naturais para a saúde das pessoas – principalmente as propriedades antibacterianas e antifúngicas –, além de ser excelente fonte de energia, colaborando para uma dieta mais equilibrada. Além disso, quando produzido de forma sustentável, ajuda a preservar o meio ambiente e a saúde das abelhas. Esses conceitos levaram a Korin Alimentos a lançar o Mel Sustentável como parte da linha Que Tal?, o único do mercado nessa categoria, tendo o seu sistema de produção intrinsecamente conectado aos pilares de sustentabilidade.

O mel é reconhecido pelas suas propriedades medicinais como antisséptico, auxílio contra distúrbios respiratórios e infecções no trato intestinal. Destaca-se também como uma fonte de antioxidantes os quais ajudam a combater doenças respiratórias. Sua valorização pelas pessoas leva ao aumento da produção apícola brasileira, que dobrou de tamanho nas últimas duas décadas, atingindo 51.507 toneladas (2020), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Diferenciando-se pela prática de apicultura consciente, o Mel Sustentável da Korin é produzido em Minas Gerais, na região que compreende duas bacias hidrográficas: Nascente do Rio Grande e Nascente do Rio São Francisco.

“A abelha tem o papel de bioindicador da preservação do meio ambiente local, pois, se elas estão na região, pode-se concluir que a biodiversidade está preservada", informa Mariana Midori Nagata, diretora de Marketing da Korin Alimentos. O Mel Sustentável da Korin é livre de contaminação por agrotóxicos e não há uso de antibióticos no manejo das abelhas, como ação de responsabilidade ambiental.

Além de ser o canal de comercialização do mel local, a Korin tem como meta fomentar o desenvolvimento da produção na região, por meio de incentivo e treinamento. "Assim, podemos ampliar o conhecimento técnico sobre a agricultura natural, que fornece alimentos nutritivos e saborosos aos consumidores de forma responsável", justifica Mariana.

A profissionalização dos apicultores envolve o avanço para o rastreamento do mel, com acompanhando de todas as etapas da produção. Para isso, os apicultores deverão ter o controle do volume produzido e manter os documentos preenchidos e arquivados para consulta. "Ter esse controle desde a origem é de suma importância para os produtores e uma garantia para os consumidores finais. Não estamos falando apenas em valor agregado, que possibilita mais renda para quem cria as abelhas, mas em segurança alimentar e saúde da população", conclui a diretora de marketing da Korin.

Sobre a Korin

Com sede em Ipeúna, a empresa brasileira nascida em 1994, pertence à Igreja Messiânica e segue a visão baseada na filosofia e no método da Agricultura Natural, de Mokiti Okada, que privilegia o equilíbrio entre a saúde humana, a valorização de homens e mulheres no campo e o uso dos recursos naturais. Pioneira na criação de frangos sem o uso de grãos transgênicos e sem antibióticos, sejam eles terapêuticos ou como promotores de crescimento. Toda a produção de alimentos da Korin é livre de agroquímicos. A empresa faz parceria com mais de 40 produtores familiares, na qual transfere tecnologia para a prática e método da Agricultura Natural. A empresa preza pelo compromisso de desenvolver uma agricultura capaz de oferecer alimentos puros, sem risco a saúde do lavrador e do consumidor, resguardando a integridade ambiental.

Tags: