Inflação pelo IPC-S sobe 0,66% sob influência de componentes como a gasolina

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,90% para 1,30%), Comunicação (0,61% para 0,72%) e Vestuário (0,46% para 0,49%)

Foto: Agência Brasil
Credit...Foto: Agência Brasil

O IPC-S de 22 de maio de 2021 subiu 0,66% e acumula alta de 7,82% nos últimos 12 meses. Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (0,06% para 0,85%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de -0,71% para 1,25%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,90% para 1,30%), Comunicação (0,61% para 0,72%) e Vestuário (0,46% para 0,49%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de eletricidade residencial (3,14% para 4,88%), serviços de streaming (1,26% para 2,70%) e relógios e bijuterias (-0,97% para -0,45%).

Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (1,06% para 0,86%), Alimentação (0,38% para 0,32%), Educação, Leitura e Recreação (-0,55% para -0,62%) e Despesas Diversas (0,19% para 0,18%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: medicamentos em geral (2,89% para 2,47%), laticínios (0,46% para 0,10%), passagem aérea (-6,26% para -7,09%) e alimentos para animais domésticos (1,55% para 1,14%).

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 31.05.2021 será divulgado no dia 01.06.2021. (com agência FGV)