Após 4 dias de bloqueio, centenas de navios ainda esperam para cruzar o canal de Suez

O número de barcos que esperam para atravessar o canal de Suez, que está bloqueado desde o dia 23 por um navio cargueiro encalhado, chegou nesse sábado (27) a 321, informou o chefe da autoridade que administra o canal

Reuters / Satellogic
Credit...Reuters / Satellogic

Em uma coletiva de imprensa, o tenente-general Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal de Suez, disse que, "atualmente, 321 barcos estão à espera de atravessar o canal de Suez devido a essa situação" e não descartou que o acidente tenha sido provocado por falha humana."A tempestade de areia e os fortes ventos no dia do incidente não foram as causas principais", afirmou Rabie.

Sobre a operação para liberar o gigantesco navio de carga, Rabie informou que os trabalhos estão sendo realizados 24 horas por dia e contam com a participação de dez rebocadores.

Segundo o tenente-general, a situação é extremamente complexa devido ao tamanho da embarcação e pela quantidade de contêineres a bordo, o que torna o descarregamento do navio uma tarefa extremadamente difícil e "o último e indesejável cenário".

No dia 23 de março, o cargueiro Ever Given, com 400 metros de comprimento e capacidade para transportar cerca de 220 mil toneladas, encalhou no quilômetro 151 do canal de Suez, bloqueando uma das rotas comerciais mais importantes do mundo.

De acordo com uma estimativa feita pela publicação Commercial Times, de Taiwan, cada hora de inatividade do canal provoca perdas de aproximadamente US$ 400 milhões (cerca de R$ 2,28 bilhões).

A companhia japonesa Shoei Kisen Kaisha, proprietária do Ever Given, afirmou que tem esperança de que a embarcação seja desencalhada ainda neste fim de semana. (com agência Sputnik Brasil)

.

ATUALIZAÇÃO DA NOTÍCIA:

Canal de Suez foi completamente desbloqueado, diz presidente egípcio

O presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, disse nesta segunda (29) que seu país obteve sucesso em desbloquear o canal de Suez, após o navio Ever Given ter ficado encalhado no mesmo desde o último dia 23.

Em declaração em redes sociais, o presidente egípcio afirmou:

"Ao restaurar a normalidade das coisas, com mãos egípcias, o mundo inteiro pode estar seguro quanto ao caminho de suas mercadorias e necessidades que são transportadas através desta artéria de navegação."
Antes da declaração do presidente egípcio, uma fonte da administração do canal relatou à Sputnik que, após ser desencalhado da área onde ficara preso, o navio seria examinado antes de prosseguir a sua passagem pelo canal.

"Será efetuada uma análise completa da parte submersa do navio para determinar se existe algum dano ou qualquer buraco no casco antes de ser tomada uma decisão, seja de continuar a passagem pelo canal ou de o rebocar até o porto mais próximo de Suez", disse a fonte.

A embarcação encalhou no local no último dia 23. Com seus 400 metros de comprimento, o navio ficou atravessado no canal, impossibilitando a passagem de outros navios e causando um enorme congestionamento de embarcações.

O bloqueio acabou afetando cerca de 12% do comércio mundial, devido à importância do canal de Suez para a navegação comercial mundial. Além de encurtar o transporte de petróleo do golfo Pérsico à Europa e América do Norte, o canal também tem papel fundamental na ponte comercial entre os países da Ásia e outras regiões do planeta.

O navio Ever Given, propriedade da empresa taiwanesa Evergreen Marine, seguia da China para o porto holandês de Roterdã.

Ainda não foi anunciado quando a navegação pelo canal será totalmente normalizada.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais