Jornal do Brasil

Economia

Petrobras segura gasolina, mas postos dão aumentos

Jornal do Brasil

Apesar de a Petrobras ter mantido inalterado em R$ 2,2514 o preço do litro da Gasolina A nas refinarias desde o dia 14, numa sequência de 11 dias que pode bater o recorde se o preço for mantido hoje (até ontem à noite a estatal não alterou os preços), levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP) registrou, na última semana, alta no preço do litro da gasolina e do etanol vendido nos postos em todo país.

De acordo com dados colhidos pelo órgão regulador em aproximadamente 5,7 mil postos, a gasolina encerrou a semana com valor médio de R$ 4,65 por litro, já contando os impostos e margem de lucro. Na semana anterior, o preço médio foi de R$ 4,62. Durante a pesquisa, a ANP chegou a encontrar postos vendendo o combustível a R$ 6,29. A pesquisa abrange o período entre 16 a 22 de setembro.

Macaque in the trees
Congelamento de preços na refinaria foi ignorado por donos de postos de combustíveis (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

No período, o preço do etanol ficou em R$ 2,83. Na semana anterior, entre 9 e 15 de novembro, o valor do litro foi de R$ 2,80. O diesel comum teve média de preço de R$ 3,64, valor está estável em relação à semana anterior, quando ficou em R$ 3,63. No entanto, o combustível iniciou o mês custando R$ 3,37.

Desde 5 de setembro, a Petrobras anunciou que estava adotando operações de hedge para se precaver nas oscilações do câmbio e da cotação de barril de petróleo. Na primeira semana, o preço ficou estável por oito dias. Agora, aumentou para 11 dias. Nem assim, porém, as distribuidoras e donos de postos deixaram de reajustar os preços para o consumidor nas bombas.



Recomendadas para você