Fernando Calmon

Alta Roda

Acordo torto

Tudo pareciamais um dos vários seminários técnicos que são realiza- dos rotineiramente a cada ano e acompanhadospor essaco- luna. Porém, o seminário EmissõesVeiculares eMeio Ambiente realizadosemana passada, durante oSalão do Automóvel de São Paulo, teve uma característicadistinta: foi compulsório Faziaparte deumacordo com o Ministério Público Fe- deral (MPF) em São Paulo co- mo“compensação” peloim- bróglio que levou ao descum- primento de prazo para ado- ção do diesel de melhor qua- lidade. Semdiminuição do teor deenxofre osfabrican- tes não poderiam oferecer os dispositivos antipoluição, particularmente onerosose complicados em qualquer motor diesel. O problema na realidade co- meçou na Agência Nacional do Petróleo, Gás Naturale Bio- combustíveis. Deixarampas- saro tempoem tolasdiscus- sões internas. Petrobrás e An- favea cruzaram os braços. Só não contavam com a reação do MPF esua exigênciade ajus- tamento de conduta. A petrolífera passará a pro- duzir um dos melhores diesel do mundo com apenas 10 ppm de enxofre - em duas eta- pas, 2012e 2014- eos fabri- cantes deverão atender a umanorma maisrigorosa, economista da Petrobrás Eduardo Correia. Para o con- sumidor interessa saber que o Programa Brasileiro de Eti- quetagem (PBE) já traz avan- ços em apenas três anos. Os resultados do ano-mo- delo 2011foram divulgados no diaanterior. Roberto Real, do Inmetro (responsá- velpelo PBE),destacouque houve uma melhora de con- sumo de combustível de até 3,6% na médiados modelos compactos (6,5 a 7 m² de área projetada no solo, classifica- ção diferentedo mercado). No total há oito categorias. Na escala denotas, de A (melhor)a E(pior), usa-seo critério deconsumo energé- tico, mais justo com gasolina e etanol. O Inmetro corrigiu em até 20% os dados de con- sumo obtidos em laborató- rios, necessários para a con- sistência dos testes. “Antes dessa mudançarecebemos na nossa ouvidoria 100 recla- maçõesde motoristasede- pois, nenhuma”, afirmou Real. O programaé voluntário, masjá estádecidido -não anunciado - a obrigatorieda- de para todos os fabricantes dentrodeum ano.AGMe agora a Honda desistiram de participar, enquantoa Ford entrou nogrupo aolado de Fiat,Kia, Renault,Toyotae VW.Haverá umaespéciede fusão entre o PBE e a Nota Verde, do Ministério do Meio Ambiente, o quepode faci- litar aescolha doconsumi- dor segundo seuscritérios e pautar asfuturas alíquotas do IPI. Eis os modeloscom nota máxima, semar-condiciona- doe motorflex de1 litrode cilindrada: Mille Fire Econo- my,Siena Fire,GolEcomo- tione RenaultLogan.Com ar-condicionado, só obtive- ramnota AFusionHíbrido Pleno(como esperado)e Kias Cerato 1.6 e Sorento 2.4, os três a gasolina. Entre mo- tores flexe ar-condicionado também a melhor classifica- ção para Corolla 1.8 (sob en- comenda) eFluence 2.0,su- cessor do Mégane sedã e uma das atrações desteSalão do Automóvel, à venda no início de 2011.

Para o consumidor interessa saber que o Programa de Etiquetagem traz avanços em três anos

igualàatual europeia.Ose- minário fez parte do acordo que foi lido por três vezes em meio às apresentações. Entrepalestras edebates salvaram-se todos.Informa- ções densase umaprevisão da demanda de combustíveis no Brasilaté 2030,apresen- tada emdois cenários,pelo

Divulgação

APROVADO

– Siena, da Fiat, ganhou nota máxima no teste de veículos menos poluentes, sem ar condicionado