Desemprego tem queda em seis regiões do país

-->Pesquisa do IBGE mostra um cr escimento de trabalhador com car teira assinada-->Antonio Puga-->A taxa de desempr ego em seis das principais r egiões do país f oi de 6,7% em agosto , segundo dados do Instituto Br asileir o de Geo g r a - fia Estatística (IBGE). Esse é o menor índice do le v antamento , que te v e início em 2002. O per - centual super a o de julho deste ano , de 6,9%. Segundo o le v an - tamento , o númer o de tr a balha - dor es com carteir a assinada no se - tor pri v ado f oi de 10,2 milhões, apontando uma esta bilidade em r elação a julho e cr escimento de 7,2% no ano . A pesquisa do IBGE, di vulgada ontem, mostr ou que o r endimento médio do tr a balhador f oi de R$ 1.472,10, um aumento de 1,4% em compar ação a julho deste ano e de 5,5% em r elação a agosto de 2009. Os dados r e v elam que o mer cado de tr a balho está v oltando a cr escer no mesmo ritmo que tinha no pe - ríodo pré-crise (antes de setembr o de 2008). – A taxa média de desempr ego no Br asil entr e janeir o e agosto deste ano f oi de 7,2%, inferior à taxa de 8,2% dos oito primeir os meses de 2008 – disse Cimar Az e- r edo , ger ente da P esquisa Men- sal de Empr ego (PME). Entr e as r egiões metr opolita - nas, a menor taxa de desempr ego ocorr eu em P orto Aleg r e (4,6%), seguida por Belo Horiz onte (5,2%) e Rio de J aneir o (5,7%). Já as maior es taxas f or am r egistr adas em Salv ador (11,7%), Recife (9,0%) e São P aulo (6,8%).-->A base da pirâmide-->Desempr egada há oito me - ses, J anaína dos Santos, 21 anos, conseguiu mar car entr e - vista atr a vés do Centr o de Oportunidades P aulo F r eir e, da Secr etaria de T r a balho , pa - r a oper ador a de caixa. Mesmo sem e xperiência esper a conse - guir a v aga. – M eu último empr ego er a de oper ador a de telemar k eting, es- tou tentando outr a colocação , o pr oblema é a minha f alta de e x - periência. Aliás, a maioria das empr esas cobr am qualificação na hor a de contr atar– afirma. Recém demitida, Aline de Santana Luzia, 32, estuda pr o- postas de empr ego . “ Estou tr an- quila por ter con vites par a tr a - balhar . Mas sei de colegas de empr esa que têm encontr ado di- ficuldade par a ser em contr ata- dos. As e xigências são m uitas inclusi v e nív el superior e domí- nio do inglês” conta Aline, f o r- mada em Assistente Social.-->BUSCA -->– Janaína e Aline pr ocuram por opor tunidade no mer cadoRafael Moraes--> Com Agência Brasil