Jack Johnson faz show em Brasília e "arranha" português

 

O havaiano Jack Johnson fez sua primeira passagem por Brasília na noite desta quarta-feira (25) - e mostrou que se preparou para estar no Brasil. O cantor saudou os fãs presentes desejando "boa noite", perguntou: "como vai? Tudo bem?" e se despediu com um "valeu, galera". Arranhando o português, Jack Johnson levou os presentes ao delírio. Para a série de oito shows no Brasil, o havaiano até cortou o cabelo - suas madeixas compridas estavam dando o que falar, mas, no show de Brasília, Jack Johnson apareceu com o visual conhecido: cabelo raspado.

Pontual, Johnson subiu ao palco às 21h10 e abriu a apresentação com a primeira música do disco To the sea: You and your heart, que tem acordes de uma guitarra elétrica muito diferentes da surf music do havaiano. Os fãs presentes cantaram todas as músicas, principalmente quanto o havaiano cantou o novo sucesso Two thousand miles.

Jack Johnson também cantou antigos sucessos, como Sitting, Waiting, Wishing - cujo refrão levantou vozes e câmeras de celular, a postos para fotografar o cantor -, Upside Down, Times Like These e Better Togheter. Johnson também mostrou que é fã do Brasil e, já no final do show, mixou uma das suas músicas com a brasileiríssima Mas que nada. Ao fim do show, o cantor estendeu uma bandeira do Brasil e pegou o presente de uma fã sortuda que gritava embaixo do palco.

Jack Johnson também atraiu celebridades. O ex-jogador de futebol e atual deputado federal Romário (PSB-RJ) assistiu ao show na área mais cara do evento - o camarote vip, onde comida e bebida eram distribuídos livremente - e foi embora por volta da meia-noite.

Na nova turnê, o artista continua engajado em várias causas ambientais, entre elas a diminuição do uso do plástico - atraiu gente de todas as idades. Uma parte à direita do palco foi reservada para cadeirantes e contava com um elevado e uma rampa para acesso de pessoas com deficiência.

Os ingressos custavam entre R$ 260 e R$ 700, dependendo da área escolhida, mas cerca de uma hora antes do show eram vendidos por, no máximo, R$ 180. Cambistas vendiam por R$ 30 um ingresso que custava, originalmente, R$ 260.