Show gratuito de Ben Harper gera polêmica em Florianópolis

A realização de um show do norte-americano Ben Harper em uma praia de Florianópolis está gerando muita polêmica entre organizadores e líderes comunitários.

O show integra uma promoção da Skol realizada através de uma votação na internet. O show seria realizado gratuitamente na praia do Campeche, uma das mais badaladas no verão catarinense. Entretanto, a falta de licenças ambientais devido à região escolhida ser uma área de restinga e a movimentação de associação de moradores vêm causando indecisão sobre a realização do evento.

Líderes da associação de moradores estiveram na Câmara Municipal e cobraram os vereadores sobre o fato do show ainda não ter licenças para a realização. Para o presidente do grupo de moradores do Campeche, Athaíde Silva, o show de bem Harper traria uma série de problemas à praia.

"O que estão fazendo é um desrespeito. Florianópolis é uma terra de ninguém", afirma. "A comunidade não foi ouvida e de repente aparece um show de graça em um local que além de ser área de preservação, não conta com nenhuma estrutura".

Silva diz não ser contrário ao espetáculo, mas salientou que outros locais seriam mais adequados e confortáveis ao público. "Estou pensando na segurança das pessoas que irão assistir", disse. "Nunca seremos contra espetáculos, desde que bem organizados e em áreas adequadas".

Segundo o diretor da Fundação do Meio Ambiente de Florianópolis (FLORAM), Gerson Basso, afirmou que adequações ao ambiente de reestinga devem ser realizadas para que o show seja autorizado. Ele destacou que os requerimentos para o evento foram apresentados somente na última semana. "O prazo é curto", disse, acrescentando que deve entregar a documentação sobre as alterações necessárias aos organizadores do show.

Apesar de gratuito, os fãs de Harper precisaram se cadastrar em um site para poder trocar dois quilos de alimentos não perecíveis por entradas. Uma área onde hoje funciona o estacionamento da praia vem sendo cercada para receber o espetáculo. Quem não conseguiu entradas poderá assistir ao norte americano pela internet.

A organização do evento se reuniu nesta quarta-feira com secretários municipais e representantes da Polícia Militar. A questão das licenças está sendo avaliada pelo próprio prefeito Dário Berger, que convocou um novo encontro com setores envolvidos no caso para debater o assunto.

A organização do show, através da assessoria de imprensa, preferiu se manifestar apenas após o caso ser novamente debatido com as autoridades locais.