Ensaios das escolas de samba atraem cariocas e turistas

RIO - Noite de domingo, temperatura de 30°C no Rio de Janeiro e arquibancadas e frisas lotadas na Marquês de Sapucaí, pista onde acontecem os tradicionais desfiles das escolas de samba. Ainda não é carnaval, mas o clima de folia tomou conta de milhares de cariocas e turistas que buscam diversão gratuita no Sambódromo durante os ensaios técnicos das agremiações, sempre aos finais de semana nesta época do ano.

A prefeitura do Rio de Janeiro, em parceria com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), assim como em outros pré-carnavais, decidiu não cobrar ingressos do público interessado em acompanhar os ensaios técnicos na Sapucaí. Assim, mesmo com algumas deficiências na infraestrutura, o local fica quase sempre cheio.

Os ensaios técnicos das escolas de samba que integram o Grupo Especial e o Grupo A são a oportunidade para muitas pessoas assistirem aos treinos das suas agremiações prediletas. Neste domingo, de acordo com as estimativas, o público chegou perto de 50 mil pessoas, que viram a Beija-Flor fazer um esboço da homenagem que está preparando ao cantor Roberto Carlos, e a Unidos de Vila Isabel, que promete levar mais de 3,5 mil perucas para o desfile oficial, já que o seu enredo é sobre o cabelo.

O turista paraguaio Ricardo Martinez, de 35 anos, engenheiro, estava acompanhado da noiva e de alguns familiares. Segundo ele, o clima na Marquês de Sapucaí era excelente. "É a primeira vez que visito o Sambódromo do Rio. O carnaval brasileiro é muito famoso em todo o mundo. Está sendo uma experiência única", afirmou.

A carioca Tânia Machado, 54, foi para a Sapucaí preparada para as mais de quatro horas de espetáculo. Ela levou cadeiras de praia e garantiu um lugar privilegiado, bem próximo à pista onde os foliões desfilam. "Cheguei às 16h, debaixo de sol, mas consegui um bom lugar. Trouxe as cadeiras para que eu, o meu marido e os três netos ficássemos mais confortáveis. Sempre acompanho os ensaios. É a chance que eu tenho de ver a minha Vila Isabel ao vivo, pois não tenho condições de pagar pelos ingressos para o carnaval. São muito caros", lamentou.

No meio da multidão, um grupo de jovens curtia a passagem das escolas de samba. Amantes do carnaval, eles aproveitaram para beber um pouco de cerveja e botar o papo em dia. Na opinião de um deles, Marcelo Oliveira, 42, professor, os treinos no Sambódromo são ideais para quem não tem condição financeira de comprar bilhetes para os desfiles oficiais. "O carnaval do Rio é um dos espetáculos mais caros do mundo, mas a infraestrutura não condiz. Uma frisa nos desfiles do Grupo Especial não é barata, mas você pode pegar chuva a noite toda. Além disso, as placas de publicidade impedem parte da visão. Por isso, os ensaios viraram oportunidade do povão participar, mesmo não sendo o desfile oficial".

Ao fazer uma comparação entre os ensaios técnicos e o carnaval, Marcelo disse que a pré-folia também tem o seu valor. "Aqui o povo participa, é mais quente. Não tem comparação".

Os ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí seguem no próximo domingo à noite (6) com Império Serrano, Império da Tijuca e Salgueiro.