Jornal da Igreja Universal terá que indenizar Xuxa por danos morais

Folha Universal acusou a apresentadora de 'satanismo'

RIO - A Editora Gráfica Universal foi condenada a pagar R$ 150 mil de indenização por dano moral à apresentadora da Rede Globo Xuxa Meneghel. Reportagem da Folha Universal, jornal da igreja fundada pelo bispo Edir Macedo, acusou a apresentadora de "satanismo", afirmando que ela teria vendido a alma para o demônio por US$ 100 milhões. As informações são do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Ainda segundo o TJ-RJ, a apresentadora declarou ser "uma pessoa de muita fé" e alegou que tem uma "imagem a zelar". A editora, segundo a Justiça, recorreu ao seu "direito de informar", afirmando "que não o fez com abuso, já que os fatos mencionados em sua reportagem já foram objeto de outras matérias em outros veículos".

Na interpretação da juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, a publicação se baseou em especulação e não deu voz a Xuxa. A magistrada destacou que "toda liberdade de imprensa deve ser exercida com responsabilidade".

- O que a ré parece não saber, embora, ironicamente, seja gráfica de uma igreja, é que quem publica o que quer, com manchete sensacionalista e texto estapafúrdio sobre 'famosos que teriam se deixado seduzir pelo mal' e monta fotos, legendando-as com palavras que evocam um suposto culto da autora pelo diabo, deve ser responsabilizado pelo dano moral causado, agravando-se tal situação por ser a autora pessoa que tem seu público, sobretudo, no meio infantil e infanto-juvenil, que é mais facilmente ludibriável, sentenciou a magistrada, de acordo com informação do site do TJ-RJ.

A gráfica foi condenada também a publicar, na primeira página da próxima edição após o trânsito em julgado da ação, no mesmo periódico, o seguinte: "em desmentido da publicação do exemplar 855 de 24 de agosto de 2008, Maria da Graça Xuxa Meneghel afirma que tem profunda fé em Deus e respeita todas as religiões".