Ministra da Cultura lamenta censura a livros de Paulo Coelho no Irã

Rio de Janeiro - A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, lamentou hoje (10) a decisão do governo iraniano de banir os livros do autor brasileiro Paulo Coelho naquele país.

A ministra disse que vai conversar com o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, para decidir como o Brasil poderá se manifestar contra a decisão do Irã.

“Vou conversar agora com o ministro Patriota, para entender como o Ministério das Relações Exteriores está vendo isso e provavelmente eles vão se manifestar. Essa manifestação do governo brasileiro cabe ao Ministério das Relações Exteriores. Pela cultura, só posso dizer que a censura é sempre lamentável”, disse a ministra, em visita ao complexo do Alemão, no Rio de Janeiro.

Em seu blog, o escritor Paulo Coelho, que publica obras desde 1998 no Irã, disse que foi informado por seu editor naquele país, Arash Hejazi, de que a publicação de seus livros foi proibida, de acordo com o Ministério da Cultura e das Diretrizes Islâmicas. Os motivos não foram explicitados.