Editora Leya Brasil anuncia o lançamento de duas obras de Carlos Nejar

A Editora LeYa Brasil lança a nova edição, revista e ampliada, da “História da Literatura Brasileira”, escrita por Carlos Nejar, membro da Academia Brasileira de Letras. Resultado de um criterioso trabalho de pesquisa, o livro tem alcance abrangente, indo de Pero Vaz e Caminha – cuja “carta fundadora” dá nome ao primeiro capítulo - até autores contemporâneos.

A nova versão da obra traz quatro novos capítulos, que abordam a ficção produzida na década de 1960; a obra de Ariano Suassuna; uma síntese dos autores teatrais, dos primórdios até “a sombra prodigiosa de Nelson Rodrigues”, e nomes representativos da poesia brasileira nas décadas de 1960 e 1970. Assim, o leitor tem acesso a uma história completa e atual, em que figuram ícones como Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Manoel Bandeira, e também os autores das gerações seguintes, como Moacyr Scliar, Adélia Prado, Raduã Nasssar e Paulo Leminski. Completam o volume observações, um texto sobre ensaístas, memorialistas, críticos, tradutores; extensa bibliografia e um índice onosmático.

“História da Literatura Brasileira” segue as tradicionais classificações que agrupam a produção literária em períodos como romantismo, realismo, naturalismo e modernismo. Entretanto, Carlos Nejar concentra seu foco antes no escritor mais que nos gêneros ou nas escolas literárias. Sendo ele também ficcionista e poeta, além de crítico e tradutor, acredita que sua condição de escritor faz de sua “História da Literatura Brasileira” uma obra singular exatamente por tratar-se de um autor analisando outros autores, alguém que conhece intimamente a dinâmica da produção artística.

Carlos Nejar, imortal que ocupa a cadeira quatro da ABL, lançou em 2007 a primeira versão de “História da Literatura Brasileira”, cuja análise ia até a década de 1960. Esta nova edição inclui nomes já consagrados como Rubem Fonseca, João Ubaldo Ribeiro, Nélida Piñon, Silviano Santiago, Lya Luft, além de poetas José Carlos Capinam, Olga Savary e Bruno Tolentino. Também inclui a dramaturgia e seus expoentes, compreendendo que esta produção tem um lugar de destaque na cultural nacional. 

Ficha Técnica

Título: História da Literatura Brasileira

Autor: Carlos Nejar

Formato: 16 x 23 cm

Capa Dura

Nº de páginas: 1104

Preço: R$ 99,90

 

 

O escritor e imortal Carlos Nejar lança o livro “Os viventes”. Publicado pela primeira vez em 1979, a obra ganha nova edição pela Editora LeYa Brasil com 300 novas “criaturas poemas”, como define o autor.

O poeta Carlos Drummond de Andrade afirmou, à época da primeira edição: “É obra que, sucedendo ao canto anterior e antecipando o canto que continuará extraindo de sua mina poética, nos dá um belo exemplo de permanência e invenção contínua”.  Palavras proféticas, pois Nejar afirma que voltou à redação dos “viventes” logo após a publicação do livro, adicionando personagens e tópicos.

Novos capítulos foram criados, como “A casa dos nomes”, morada dos entes familiares e íntimos do autor; “A arca da aliança”, onde habitam personagens do Velho e do Novo Testamento; ou ainda “Entre o bem e o mal: baldeações”, em que mitos como Sísifo e Narciso coabitam com figuras históricas como Napoleão Bonaparte, e criaturas da arte como os bufões de Velásquez e as figuras de Goya.  Fazendo uso do sentido original da palavra, de que “vivente é tudo o que tem fôlego, sopro de vida”, Carlos Nejar criou também o “Livro das bestas e insetos”.

Nestes poemas, Nejar não expressa apenas sua profunda afeição pelos seres reais e imaginários, mas procura resgatar, de cada um, a essência tantas vezes esquecida ou menosprezada. Para o poeta, todas as criaturas estão de alguma forma unidas, pois “não há pátria/a quem ama”. Produz assim uma obra única no panorama da poesia contemporânea brasileira, pela multiplicidade de vozes que apresenta, construindo a um só tempo um mosaico amplo, diverso e coeso.   

 

Ficha Técnica

Título: Os viventes

Autor: Carlos Nejar

Formato: 14 x 21 cm

Brochura

Nº de páginas: 560

Preço: R$ 69,90