Tarcísio Meira completa 75 anos

Completar 75 anos de idade com a saúde em dia, atuando na carreira e apaixonado pela mesma mulher há 45 é o projeto de vida de muitas pessoas. Pois Tarcísio Meira conseguiu realizar esse sonho: nesta terça-feira (5), o ator soma mais uma primavera gravando a próxima novela global das nove, Insensato Coração, no papel de um garanhão, e fora da telinha ainda vive em clima de lua de mel com a amada, Glória Menezes.

Na juventude, porém, o ator pensou em se tornar um diplomata e chegou a fazer a prova para o Instituto Rio Branco em 1957, mas foi reprovado e desistiu. Partiu, então, para as artes cênicas e dois anos depois estava brilhando nos palcos em espetáculos como Chá e Simpatia, Quando as Paredes Falam e Soldado Tanaka. Foi o suficiente para tomar gosto pela coisa e estrear em novelas.

Em 1961 foi o astro da radionovela Um Pires Amargo e já em seu primeiro trabalho na Tupi conheceu aquela que seria sua companheira até os dias de hoje. Eles se casaram um ano depois e em 1963 marcaram história ao atuar no primeiro folhetim diário da televisão, o 25499-Ocupado, transmitido pela extinta TV Excelsior.

De lá para cá foram várias parcerias de sucesso, tanto que a trajetória de Tarcísio é marcada por atuações junto da mulher. A química dentro e fora da telinha dá tão certo que mesmo quando os autores tentam separar os pombinhos nas tramas, o público reclama e os novelistas são obrigados a formar um par romântico com os atores. O resultado de tanta paixão chegou em 1964 com o nascimento de Tarcísio Meira Filho, o único filho do casal.

Antes de estrear na Globo, em 1968, com Sangue e Areia, Tarcísio apareceu em cerca de 10 novelas em outras emissoras. E atualmente lista mais de quarenta trabalhos na rede da família Marinho, com destaque para Irmãos Coragem, de 1970, considerada um dos maiores sucessos da fase preto e branco da TV.

Em Guerra dos Sexos (1983) o ator inovou ao interpretar um personagem cômico, bem diferente dos galãs que estava acostumado a fazer até então. O folhetim, estrelado por Paulo Autran e Fernanda Montenegro, recebeu inúmeros prêmios, entre os quais o de Melhor Novela do Ano. Versátil, Tarcísio encarnou tipos que vão de homens lindos a carcamanos odiáveis: todos feitos de maneira irretocável.

Foi no seriado que levava o nome do casal, Tarcísio & Glória, que eles tiveram uma nova experiência. Além de atuarem, os dois também produziram e Tarcísio chegou a dirigir alguns episódios.

No cinema, o artista estrelou diversos filmes, entre eles Missão: Matar (1972), A Idade da Terra (1980), Eu Te Amo (1981), O Beijo no Asfalto (1980), Amor Estranho Amor (1982) e Boca de Ouro (1990), pelo qual recebeu o prêmio de Melhor Ator do Festival Latino do Filme de Nova York.

Nas quatro peças em que se destacou no teatro atuou ao lado de Glória Menezes, sendo elas Tudo Bem No Ano Que Vem (1976), Um Dia Muito Especial (1986), na qual viveu um homossexual perseguido pelo nazismo, O Duplo (1992) e E Continua... Tudo Bem (1996).

Sua aparição mais recente na TV foi em A Favorita (2008), no papel do patriarca Frederico Coppola e, mais uma vez, junto da mulher. Louco pela profissão, Tarcísio soube levar muito bem essa "mistura" dos dois mundos, o pessoal e a carreira: encheu o trabalho de paixão e verdade e dividiu com Glória todos os momentos marcantes de sua vida.