Filme de Lúcia Murat abre 20º Encontro de Cinema da América Latina

Agência EFE

PARIS - A cineasta Lúcia Murat abriu hoje o 20º Encontro de Cinema da América Latina de Toulouse, com a pré-estréia de 'Maré, nossa história de amor', que está fora da competição no evento.

A diretora, que se inspirou no clássico 'Romeu e Julieta', transporta para a favela da Maré a dramática história de amor adolescente ao som de funk, hip-hop, rap e samba, e chega a Toulouse após participar também da última edição do Festival de Cinema de Berlim.

Até o dia 6 de abril, quando o filme mexicano 'Partes usadas', de Aarón Fernández, encerrará o 20º Encontro de Cinema da América Latina, sete filmes inéditos vão concorrer pelo Grand Prix Coup de Coeur, o grande prêmio do festival.

As produções nacionais 'O grão', de Petrus Cariry, e 'Otávio e as letras', de Marcelo Masagão; os filmes argentinos 'Agnus Dei', de Lucía Cedrón, 'El desierto negro', de Gaspar Scheuer, e 'Musica nocturna' de Rafael Filippelli, fazem parte da seleção.

Na luta pelo prêmio Coup de Coeur também estão 'Lo bueno de llorar', do chileno Matias Bize; e 'Cocochi', dos mexicanos Laura Amelia Guzmán e Israel Cárdenas.

O júri do grande prêmio do Encontro contará com Lina Chamie, que mostrou seu 'A Via Láctea' na edição de 2007 do Festival de Cannes, e mais quatro componentes.

O Brasil também será representado em Toulouse pelos filmes 'A Pedra do Reino', de Luiz Fernando Carvalho, e 'Mutum', de Sandra Kogut, que participou dos últimos festivais de Cannes e de Berlim.

O escritor e cineasta Mário Peixoto também será lembrado com a apresentação de seu único e histórico filme 'Limite', de 1931.

A homenagem é parte das comemorações do centenário de nascimento de Peixoto, em 25 de março de 1908.