'Harry Potter e as Relíquias da Morte' é lançado em mandarim

Agência EFE

PEQUIM - A tradução oficial para o mandarim de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", sétimo e último livro do bruxinho adolescente, chega às livrarias chinesas dois meses depois das versões dos fãs começarem a circular na internet.

Um milhão de cópias foram colocadas à venda em todo o país, mais de dois meses depois do lançamento na China da versão original em inglês e da divulgação de traduções livres na internet.

O livro da britânica J.K. Rowling será vendido a US$ 8,80, um preço alto na China, onde os romances costumam custar US$ 5.

Os adolescentes de Pequim esperaram desde as 5 horas de domingo, dia em que o livro foi lançado, diante das portas da livraria de Xidan, uma das maiores da capital, para conseguir um exemplar.

Só em Pequim foram vendidos no domingo mais de 17 mil exemplares do sétimo livro de Harry Potter.

- Estamos preparados para imprimir mais cópias da versão chinesa a qualquer momento - afirmou Sun Shunlin, o editor do livro no país, apesar do medo de que as traduções não-oficiais prejudiquem as vendas.

Além disso, os fãs chineses, assim como no resto do mundo, não se contentam com as aventuras escritas por Rowling e criam suas próprias aventuras mágicas sobre Harry Potter.

Uma das mais populares é "O passado de Lily Evans e James Potter", que trata sobre a relação dos pais de Harry e o professor Snape. O romance foi escrito por uma jovem chinesa de 13 anos.

Pan Kai Xiong, o subdiretor do Editorial de Literatura Popular, encarregada da distribuição do livro na China, assegurou que convidará Rowling a visitar o país e se encontrar com fãs chineses.