Lars Von Trier dirige a comédia 'The Boss of It All'

Portal Terra

COPENHAGE - Com uma comédia de baixo orçamento, intitulada "The Boss of It All" (O chefe disso tudo, em tradução literal), o conceituado diretor Lars Von Trier tira férias de um elenco conhecido internacionalmente e dirige anônimos.

Na história, uma empresa decide contratar um ator para se passar pelo presidente da companhia. A intenção é convencer um executivo islandês a fechar um importante contrato.

O problema é quando a ficção toma conta da realidade e faz o dono da empresa perder o controle da situação. Os funcionários se rebelam contra o farsante, que se acha realmente no direito de mandar.

- Você consegue ver minha reflexão - garante o cineasta à revista Variety.

- Mas o filme não vai causar mais do que momentos de reflexão - continuou.

Segundo o diretor, apesar de criticar a hipocrisia da sociedade, o longa é uma comédia.

"The Boss of It All" fez sua estréia na abertura do Festival de Filmes de Copenhague, em setembro do ano passado. Um dos destaques da noite, Von Trier resolveu não aparecer à première e assistiu ao filme escondido na platéia, vendo a reação da platéia.

O dinamarquês Lars Von Trier é um dos cineastas mais conceituados do cinema atual. Ao lado de Thomas Vinterberg, ele fundou o manifesto Dogma 95, que prega um cinema sem cenários, sem trilha sonora, apenas feito uma câmera na mão.

Ele ganhou fama com seu único filme que seguiu essa regra: "Os Idiotas" (1998). Depois deles, vieram "Dançando no Escuro" (2000), "Dogville" (2003) e, por fim, "Manderlay" (2005).

Von Trier já foi indicado a diversos prêmios internacionais, sendo os mais importantes o Oscar e o Globo de Ouro pela canção original de Dançando no Escuro, filme que emocionou a crítica com a performance de Björk.

Recentemente, Lars Von Trier anunciou que a depressão ameaça a sua carreira.

- É muito estranho para mim, porque sempre tive pelo menos três projetos na minha cabeça de cada vez - disse ele na época.

- Mas agora estou completamente em branco.

O diretor foi internado em um hospital de Copenhague no fim do ano passado, mas garantiu que volta aos cinemas no terror Anticristo, apesar de se sentir como "uma folha em branco".