Grã-Bretanha entra em guerra com festa de nu-raves

Agência ANSA

LONDRES - A Associação de Governos Locais (LGA) começou uma "guerra" para impedir que raves ilegais aconteçam no interior da Grã-Bretanha, pois provocam danos irreparáveis ao meio ambiente.

A LGA indicou que as prefeituras locais devem ficar "alertas ao máximo" para evitar o reaparecimento de festas gratuitas de música ao ar livre, "famosas nas décadas de 1980 e 1990 pelo consumo massivo da droga".

As autoridades declararam guerra às chamadas nu-raves, as festas onde se toca música eletrônica não disponível em clubes e festivais.

O LGA pediu às prefeituras que investiguem sites da internet, como o MySpace, para descobrir onde poderiam acontecer essas festas ilegais "que arruinarão a vida dos moradores locais e que colocarão em perigo os participantes por não terem serviços de emergência à disposição".

Também incentivou os prefeitos a irem a pubs e danceterias para encontrar cartazes que divulguem as nu-raves.

- A tecnologia, como a internet e os celulares, fizeram com que as raves ilegais aconteçam de um modo mais fácil e rápido. Muito mais do que quando esses tipos de festas eram promovidos no boca a boca - destacou uma porta-voz da LGA.

A associação teme que a grande maioria das raves ocorra no sudoeste da Inglaterra, nas proximidades de Londres.

A LGA identificou cinco expoentes da nu-rave: Klaxons, New Young Pony Club, Shitdisco, Trash Fashion e Hot Chip, que misturam punk com música disco.

No condado rural de Somerset, as autoridades conseguiram detectar cerca de 80 raves ilegais.