Jornal do Brasil

Cultura

Um concerto da China e do Brasil

Sinfônica de Zhejiang toca no Municipal com entrada gratuita e repertório vasto

Jornal do Brasil JOÃO PEQUENO, joao.pequeno@jb.com.br

Com 60 integrantes e extenso repertório, que vai do chinês Liu Tianhua (1895–1932) aos brasileiros Carlos Gomes (1836-1896) e Heitor Villa-Lobos (1887-1959), a Orquestra Sinfônica de Zhejiang faz apresentação gratuita hoje, às 20h, no Theatro Municipal.

Trazido pela produtora Dell’Arte, o Concerto Sinfônico para Celebrar o Festival da Lua já passou por Foz do Iguaçu, e ainda seguirá para São Paulo e Brasília. A abertura tem participação da Orquestra Maré do Amanhã, com os hinos nacionais da China e do Brasil.

Macaque in the trees
O maestro Francis Kan tem passagens pela Inglaterra e Romênia e prêmio de regência conquistado em Portugal (Foto: Divulgação)

Sediada na província de Zhejiang, próxima a Xangai, a orquestra chinesa é uma das que marca a descentralização da música erudita para cenas emergentes,.

“Acho que precisamos promover a música clássica para mais jovens. Isso está sendo feito por toda a China atualmente, onde realizamos muito trabalhos, a fim de levar mais pessoas às salas de concertos – e elas realmente gostam”, ressalta o maestro Francis Kan,.

Ele, em experiência nessa vertente, como vencedor do Concurso Internacional para Jovens Regentes em Portugal, em 1995, e regente residente da Orquestra Jovem da Ásia, com a qual fez turnês a Singapura e Estados Unidos, após estudar em Londres e na Romênia – da qual teve teve como professor o maestro que se tornou sua referência: o romeno Sergiu Comissiona (1928-2005). Seu outro ídolo é o húngaro George Szell (1897-1970), que sucedeu Leonard Bernstein (1918-1990) como diretor artístico da Orquestra Filarmônica de Nova York.

Macaque in the trees
Com 60 integrantes, orquestra de província vizinha a Xangai já tocou em Foz do Iguaçu e segue a São Paulo e Brasília (Foto: Divulgação)

Como spalla, a Sinfônica de Zhejiang apresenta o violinista He Fan, solista em “Romance trilogy”, de Li Haiying.A orquestra também reúne, no concerto de hoje, destaques convidados como o flautista Wang Yuezhou. Nascido na própria Zhejiang, o instrumentista de 34 anos sola em músicas do folclore de sua cidade natal (“Riverside boat song”) e da Romênia (“The lark”).

Já as peças vocais contam com solistas da própria China – a soprano Wang Ying e o tenor Ding Yi –, passam pelos tenores brasileiros Eduardo Maldonato e Giovanni Tristacci e incluem a soprano paraguaia Tahyana Perret, que canta a “Melodia sentimental”, de Villa-Lobos.

O ítalo-brasileiro Tritacci rende tributo à música erudita nacional, com “Quem sabe”, de Carlos Gomes; e “Trovas. Op 29, n.1”, de Alberto Nepomuceno.

Wang Ying vai da chinesa “The prairie of July”, de Shang Deyi; a “Song to the moon”, do tcheco Antonin Dvorak (1841-1904), bem de acordo com o tema do concerto, enquanto Ding Yi canta “That’s me”, de Gu Jianfen; e “Dein ist mein ganzes herz”, de Franz Lehar.

O repertório da Orquestra Sinfônica de Zhejiang ainda inclui “Peer Gynt Suite Nº1”, de Edvard Grieg; “Fingal’s cave”, de Felix Mendelssohn; e o intermezzo da ópera “Cavalleria rusticana”, de Mascagni Pietro, entre outras.

----------

SERVIÇO

ORQUESTRA SINFÔNICA DE ZHEJIANG

Theatro Municipal (Praça Floriano, s/n - Cinelândia; Tel.: 4003-2330). Hoje, às 20h. Entrada gratuita, sujeita à lotação, com retirada de ingressos a partir das 14h, na bilheteria (limite de dois por pessoa).



Recomendadas para você