Jornal do Brasil

Cultura

Longchamp festeja 70 anos com desfile em NY

Jornal do Brasil

NOVA YORK (EUA) - Depois da Ralph Lauren, que festejou seus 50 anos , a casa francesa Longchamp comemorou no sábado seus 70 anos com um desfile inédito na Semana de Moda de Nova York, para marcar suas ambições no prêt-à-porter dos Estados Unidos.

Kate Moss, que foi embaixadora da Longchamp durante oito anos, e Kendall Jenner, a nova cara da marca de luxo, estiveram na primeira fila desta iniciativa da companhia familiar, que até agora se limitava a organizar desfiles para sua própria rede. A diretora artística, Sophie Delafontaine, neta do fundador, buscou aliar “espírito californiano e elegância francesa”. Entre as 40 modelos sobressaiu a disputada Kaia Gerber, de 17 anos, filha de Cindy Crawford.

Macaque in the trees
Kaia Gerber, filha de Cindy Crawford, brilhou na passarela (Foto: Thomas Concordia/Getty Images for Longchamp/AFP)

Longchamp, que ficou famosa com sua bolsa Pliage de náilon, lançada nos anos 1970, começou a se interessar pelo prêt-à-porter e pelos calçados há 10 anos, lembrou seu diretor-geral, Jean Cassegrain, neto do fundador.

“Foi necessário implementar uma cadeia de provedores (...), ampliar os comércios (...). Somos uma casa familiar, independente, fizemos isso no nosso ritmo”, afirmou. “Só nos faltava o desfile”.

A marca escolheu Nova York para destacar seu “lado cosmopolita”, embora a maior parte de suas vendas e de seus 1.500 locais estejam na Europa, disse Cassegrain.

Na última sexta-feira, Kate Spade inaugurou a Semana de Moda de Nova York, com abundância de cores em homenagem à fundadora da marca de bolsas, três meses depois de sua morte. A nova diretora criativa da marca, Nicola Glass, nascida na Irlanda do Norte, trabalhava nessa coleção quando Spade, de 55 anos, se suicidou em junho.

Foi o primeiro desfile da marca na New York Fashion Week, celebrada todos os anos em setembro e fevereiro, que aconteceu na icônica Biblioteca Pública de Nova York. Até então, a marca só havia feito apresentações, com modelos que posavam e permitiam que o público tirasse fotos.

No tapete rosa pastel da passarela, corria um rio de brilho prata, uma homenagem à mulher cuja marca se tornou sinônimo de viver a vida com alegria desde que fundou a empresa com seu marido, em 1993. “Ela deixou uma faísca em cada lugar por onde passou”, lia-se em um pequeno cartão rosa colocada no banco de cada convidado do desfile. “Em memória amorosa 1962-2018”.

“Embora ela não esteja aqui há mais de dez anos, seu espírito definitivamente ainda está na empresa”, disse à Glass, uma ex-estilista de joias e bolsas da Gucci, que também trabalhou na Michael Kors. Spade se desligou de sua marca em meados dos anos 2000.

A nova coleção se enraizou no DNA da marca: cor, diversão, alegria para uma mulher vivaz, mas com um olhar fresco, moderno, sofisticado e feminino. A coleção primavera/verão da Kate Spade trouxe abundância de lilás, fúcsia, verde-escuro, verde-ácido, florais e estampas, sandálias de salto quadrado e botas até o joelho.



Tags: moda

Recomendadas para você