Você evoluiu para se exercitar... Mesmo que a idade esteja chegando

...

...
Credit......

Talvez você ainda ache que na medida em que envelhecemos, perdemos a animação de antigamente para as atividades físicas. E talvez você até anseie por isso, aguardando a aposentadoria para passar o dia sentado relaxando.

Mas e se eu te disse que é o contrário? Que seu corpo foi programando não para desacelerar com a idade... Mas que se mover mesmo nessa etapa da vida é o que te faz humano e te diferencia dos outros animais?

Pode parecer estranho, mas pesquisadores de Harvard dizem ter evidências de que essa é a realidade da nossa espécie. Mas por quê? Vou te explicar. E você vai ver que faz sentido.

 

Mover-se está no seu DNA

Se você observar outros animais na natureza, vai notar que a maioria vive apenas para reproduzir. Muitos morrem logo depois de acasalar, apenas para deixar sua contribuição para a espécie. Até mesmo os macacos, que são os mais próximos de nós na escala evolutiva, dificilmente vivem muito depois dos 35 ou 40 anos – que é quando perdem a capacidade de reproduzir.

Sabe quais são os únicos animais que vivem uma boa parte da vida (20 anos ou mais) depois da idade reprodutiva? Sim. Nós mesmos! Segundo os pesquisadores, isso começou 40 mil anos atrás, quando nós nos tornamos caçadores e coletores. Nós passamos a fazer atividades físicas intensas para caçar ou procurar nossos alimentos.

Assim não tivemos apenas uma melhor nutrição que aumentou nossos cérebros e nos tornou o que somos hoje... Mas também nos tornamos “esportistas”, o que fez nossos corpos durarem muito além da simples necessidade de se reproduzir.

Resumindo: fomos evolutivamente selecionados para sermos ativos, e não só na juventude, mas também na terceira idade. Ficar parado é simplesmente contra sua natureza evolutiva.

 

Exercite-se e viva mais

Os pesquisadores de Harvard são claros: quando você se exercita, o seu corpo passa por certo estresse e até sofre alguns danos. Mas isso não é ruim. Na verdade, é o que melhora sua saúde e longevidade, pois o organismo responde se fortalecendo.

Isso inclui a reparação de rupturas nas fibras musculares, a reparação de danos à cartilagem e a cicatrização de microfraturas. Em resposta ao estresse do exercício, seu corpo também libera antioxidantes, anti-inflamatórios e aumenta o fluxo sanguíneo.

Na ausência de atividade física, essas respostas são menos ativadas. Foi demonstrado no estudo que os processos celulares e de reparo do DNA reduzem os riscos de diabetes, obesidade, câncer, osteoporose, Alzheimer e depressão. Antes, nos exercitávamos na natureza, caçando e colhendo. Hoje, que não temos mais essa necessidade, você pode escolher o exercício que você mais gosta, como:

Musculação – Que é ótima para jovens, adultos e idosos. Basta ser acompanhado por um profissional que lhe oriente.

Natação – Um dos melhores exercícios que existem, pois trabalha a parte muscular e cardiovascular.

Corrida e bicicleta – Nesse caso sempre indico focar em percursos menos longos, mas com intensidade mais alta.

E esses são só alguns exemplos.

Então, não deixe a idade te desanimar. Os exercícios são justamente o que vão te fazer enfrentar o avanço dos anos com força e independência. Supersaúde!

_______


Referências bibliográficas:
•Proceedings of the National Academy of Sciences, 2021; 118 (50): e2107621118 DOI: 10.1073/pnas.2107621118.
•Praticar Exercícios Agora Reduz Risco de Depressão na Terceira Idade – www.DrRondo.com
•Exercícios Ajudam a Evitar Quedas em Idosos – www.DrRondo.com

Dr. Wilson Rondó Jr.
CRM RJ 52-0110159-5
Cirurgião Vascular de formação e Nutrólogo
Registro nº 058357

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais