Jornal do Brasil

Música em Pauta

Música em Pauta

Mariana Camargo

Neemias Silva

Jornal do Brasil

Estava tomando um café com minha amiga Juliana no Talho Capixaba do Leblon, tem sempre algum músico por lá dando uma canja com seu chapéu. E começou a tocar Carinhoso. Paramos a conversa. Carinhoso e tocado com a maior bossa sentimental no clarinete! Não resisti e fui falar depois com o músico. Minha amiga ficou encantada com o jeito “cool” dele. Eu fiquei encantada com a musicalidade. Neemias Silva, meio falso tímido (tipo Chico Buarque), engrenou animadamente na conversa com a gente, o garçom trouxe mais um café. Afinal não é qualquer dia que encontramos pessoas legais nesta vida. Neemias mora em Mesquita e vem diariamente tocar nas calçadas do Leblon e de Ipanema. Ele aprendeu a tocar clarinete na igreja e também toca saxofone. Indiscretamente perguntei sua idade: “ Sou velho, já tenho 29 anos”. Acho que por isso perguntei. Ele parecia ter uns 20 anos.

Mais conversávamos e mais a frase “Quantos Mozarts morrem diariamente nas favelas do Brasil?” ecoava na minha cabeça. Neemias sabe de tudo, ou de quase tudo, e ainda tem aquilo que todos os bons músicos precisam mandatoriamente ter: talento. Sabe inclusive que precisa estudar muito mais e, como os sábios, exala humildade diante do que desconfia não saber. Perguntei se sabia tocar a “Rhapsody in Blue”, de Gershwin, ao que ele respondeu com um convicto “não” misturado à curiosidade que eu dissesse do que se tratava. Com um pouco de inveja, pois conheço a “Rhapsody in Blue”, mas não seria capaz de tocar o início da peça com clarinete, falei um pouco sobre Gershwin para ele. Conversa vai, conversa vem, ficamos todos amigos no Facebook.

Outra semana, sentada novamente no mesmo café. Neemias chegou, abriu o estojo do seu instrumento e começou a tocar a introdução da “Rhapsody in Blue”. Puxa, que máximo! Mas como sou insuportavelmente crítica (músicos, compositores, temei-me! A Bárbara Heliodora que jaz em mim anseia por se libertar), fui dar dicas ao Neemias de como tocar melhor a escala na introdução da peça. Encontramos a partitura no Google e em cinco minutos o Neemias já estava tocando bem o sufi ciente para ser prazeroso de ouvir. Tomara que ele incorpore esta e outras músicas a mais no seu repertório.

Quando passarem pelas ruas, prestem atenção no Neemias e em tantos outros ótimos músicos! Mas todo cuidado é pouco. Também tem muito músico ruim por aí (afirma a reencarnação de Bárbara Heliodora).

 

Macaque in the trees
O clarinetista Neemias Silva tocando no Leblon (Foto: José Peres)

 

Notas e Acordes

ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DO RIO DE JANEIRO com violinista Koh Gabriel Kameda sob a regência de Tobias Volkmann, que trabalhou com vários dos músicos da orquestra desde 2012, quando inauguraram o núcleo no Morro dos Macacos. Concerto na Sala Cecilia Meireles nesta quinta-feira às 20 h. No programa, Abertura Egmont de Beethoven, Concerto para violino em Mi Menor de Mendelssohn, Dança húngara nº 1 de Brahms e Dança Eslava de Dvorák.



Recomendadas para você