Temos que decifrar o metaverso

.

JB
Credit...JB

A conversa sobre tendências deixou de ser sobre ombros, comprimentos, estampas ou cabelos. Temos que decifrar o metaverso, palavra que anda nos perseguindo em vários setores. Às vezes acreditamos que entendemos tudo; horas depois algum comentário desfaz toda a ilusão de conhecimento.
Antes de falar de moda, vamos aprender o que NÃO é metaverso, segundo Guilherme Stella, fundador da TrackFY, empresa especializada em mapeamento digital:

· Games e conteúdos tridimensionais (Second Life, Minecraft, CS ou qualquer MMO);

· Experiências virtuais (realidade virtual, aumentada e mista)

· Streaming virtual (IOT – internet das coisas e streaming de eventos virtuais).

O que os três têm em comum? “São aleatórios, têm começo e fim, e uma atuação limitada do usuário. Todos são experiências virtuais, isso não podemos negar. Mas não são o Metaverso. O Metaverso é uma realidade paralela e contínua na qual as experiências acontecem”, explica Guilherme.

 

Tem Fashion Week

Então, vejamos o que acontece na moda. Dolce & Gabbana, Paco Rabanne, Elie Saab, Tommy Hilfiger, Dundas, Cider e Cavalli participam da primeira edição da Metaverse Fashion Week. Além de assistir aos desfiles virtuais em 3D na plataforma Decentraland, poderão comprar roupas para seus avatares online, como NFTS (non fungible tokens). Em alguns casos, talvez recebam uma peça de verdade para seus guarda-roupas reais. No caso da Tommy Hilfiger, por exemplo, a participação na Metaverse Fashion Week da Decentraland reforça o compromisso de inovação. Em 2020 foi lançada a Tommy Island, em Animal Crossing, em 2021 foi a vez da parceria com a Roblox e em 2022, do Team Tommy, iniciativa que reconhece o mundo gamer.

 

Macaque in the trees
. (Foto: .)

 

Também por aqui

No Brasil, a Reserva está lançando a marca Reserva X, de experimentação na web3, metaverso e tecnologias insurgentes. Na primeira coleção o famoso pica-pau vem como um Toy-Art apelidado de Pistol Bird. Isto faz parte do DNA inovador da Reserva.

O NFT é opção também na Aramis, na campanha com Cauã Reymond em cenário de cidade digital. A coleção Desinverno inclui a jaqueta phygital, MetaHeat, com três níveis de aquecimento tecnológico e poder de controle de temperatura através de um powerbank. O lançamento do NFT Aramis dá acesso ao clube VIP da marca. As 25 jaquetas produzidas serão vendidas no Open Sea, maior mercado de NFTS do mundo.

 

Macaque in the trees
. (Foto: .)

 

Neste movimento de não fungíveis, games, digitais, avatares, entra até a Lacoste, marca sempre tão comportada, uniforme de homens elegantes. O jacaré se encontrou com os personagens do Minecraft. Esta collab explora o virtual e o real. Os jogadores podem usar uma espécie de uniforme para celebrar suas aventuras no jogo. Na festa de lançamento no E-Spot, meca dos gamers na Rue de Rivoli, em Paris, foi anunciado o mapa da Croco Island, desenvolvido para a Lacoste e disponibilizado de graça para os gamers do mundo inteiro. O crocodilo, além de aparecer gigante ao fundo do jogo, foi recriado e pixelado pelo Minecraft Creative Studio e as principais peças da coleção têm frases relacionadas com as duas marcas. Um ítem ótimo: o boné com o crocodilo!

 

Macaque in the trees
. (Foto: .)

 

Macaque in the trees
. (Foto: .)

 

Macaque in the trees
. (Foto: .)

 

O que é:

Pixelado: transformado m imagem digital

E-spot: endereço para os gamers viajantes: rue de Rivoli, 150, quase em frente ao Museu do Louvre.

Bom voyage!



Iesa Rodrigues
.
.
.
.
.


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais