Dicas do Aquiles

Por Aquiles Rique Reis

[email protected]

DICAS DO AQUILES

Um álbum lindo

Publicado em 24/02/2024 às 06:38

Alterado em 24/02/2024 às 06:38

Hoje vamos de Valsas Choros e Canções (Selo Sesc), o novo álbum de Eduardo Gudin. Doze dos treze arranjos são dele e seu violão está em todas faixas. Léla Simões (voz, viola e violino) e Naila Gallotta (um arranjo, voz e piano) também protagonizam o trabalho com ele.

Antes... Desde quando o MPB4 ainda contava com Magro e Ruy, tínhamos, e claro que ainda hoje temos (embora agora com nova formação), enorme admiração por este compositor bom de samba, de valsa, de choro e de canção. Gravamos algumas de suas músicas que até hoje me emocionam.

Mas vamos lá: “Arrebentação”* (EG e Paulo César Pinheiro). A intro é do piano. Léla canta. Como em todas as faixas, violão, viola, violino e piano se entregam à faina da criação. O piano se destaca, até entregar a ribalta ao violão. A viola toca. O piano dedilha. O violino usa o arco. O álbum abre as portas para a sensibilidade dos ouvintes.

Capa do CD Foto: Reprodução

“Jacob” é um choro inédito de EG. Piano e violão abrem. Bandolim (Ronen Altman) e violino tocam em duo – dialogando e se complementando. A primeira parte se repete e com ela o choro ganha empatia. O violão assegura a harmonia.

“Poente” (EG e Marco Antônio da Silva Ramos): violão e piano abrem o arranjo de Naila, ela que canta junto com Gudin. O piano segue e entrega a Fernando Goldenberg e sua gaita a responsabilidade de brilharem – eles não se fazem de rogado. Naila e Léla abrem as vozes em terças.

Abrindo o arranjo, o belo “Choro do Amor Vivido” (EG e Walter de Carvalho) tem o violão de Gudin junto com o piano de Laila. Piano que vai firme às teclas. Canto que vem pelas vozes em cânone de Naila e Léla. Logo o instrumental volta, bem como retorna o violão de Gudin. Supimpa!

O grande sucesso “Paulista”** (EG e J.C. Costa Neto) vem pela voz de Gudin e pelo seu violão. Após alguns versos, Naila e Léla vêm e se revezam no canto e nos vocalises. O dedilhar da viola soa junto com o violão, que toca num intermezzo de alguns compassos. O bandolim de Ronen volta à cena.

“Luzes da Mesma Luz” (EG e Sérgio Natureza) tem Léla cantando e tocando viola, enquanto o piano e o violão se ajuntam a ela e fazem parceria para tocar o arranjo de Gudin – mais um com o dom de seu DNA. Léla canta com gosto. Piano, violino e violão estão no intermezzo. A seguir, Renato Braz dá ao canto à sua sabedoria. A ele se ajunta Léla. Belo duo! Meu Deus! Ah!, o piano e o violão estão lá na intro.

Enfim, Valsas Choros e Canções é um álbum que maravilha por trazer ao proscênio um craque como Eduardo Gudin, ele que é um ourives, a quem interessa lapidar cada acorde de sua música, batear soluções harmônicas para suas frases melódicas e polir os acordes. O perfeccionista que revê à exaustão cada achado harmônico (tantos!), em busca de aprimorá-los. Gudin é um bamba que se iguala aos melhores que temos na música brasileira.

Aquiles Rique Reis
Nossos protetores nunca desistem de nós.

*

'Arrebentação'

**

'Paulista'

 

Tags: