Dicas do Aquiles

Por Aquiles Rique Reis

[email protected]

DICAS DO AQUILES

O cantar de Olivia Hime

...

Publicado em 13/01/2024 às 10:16

Alterado em 13/01/2024 às 10:16

Olivia Hime em ensaio Foto: reprodução/Instagram

Olivia Hime acaba de lançar Se Eu Te Eternizar (Selo Sesc), no qual canta 12 músicas de seu companheiro de vida e música Francis Hime. São composições em parceria tanto com ela própria quanto com Zélia Duncan, Thiago Amud, Chico Buarque, Paulo César Pinheiro, Cacaso e Geraldinho Carneiro.

O álbum, produzido por Paulo Aragão, traz participações especiais de Zélia (ela que escreveu belo texto pro encarte, além de breves comentários sobre cada uma das músicas), Dori Caymmi, Sérgio Santos e do Quarteto Maogani – Carlos Chaves (violão requinto), Diogo Sili e Marcos Alves (violão) e Paulo Aragão (violão de 8 cordas).

Capa do CD Foto: reprodução

Francis, o diretor musical do disco, tocou piano e fez arranjos, verdadeiras declarações de amor, e contou com instrumentistas capazes de entender as canções e muito bem tocá-las, como Sammy Fuks (flautas), Igor Carvalho (clarinete), Cristiano Alves (clarone e clarinete), Aquiles Moraes (flugel e trompete), Hugo Pilger (cello), Kiko Freitas (bateria), Luciana Rabello (cavaquinho), João Camarero e Paulo Aragão (violão), Jorge Helder (baixos elétrico e acústico), Marcus Thadeu (percussão), Cristina Braga (harpa), Aloysio Fagerlande (fagote), Pedro Amorim (bandolim), Mauricio Carrilho (violão de 7 cordas) e Gabriel Grossi (gaita), além das cordas da Orquestra de Estúdio de São Petersburgo.

O álbum contou ainda com a competência dos técnicos do Estúdio Biscoito Fino: Lucas Ariel (engenheiro de som), Pedro Mesquita, Jerônimo Orselli e Wallace Araújo (assistentes de gravação), Gabriel Pinheiro (mixagem) e Luiz Tornaghi (masterização).

Agora lhes digo que estou aqui ensimesmado a ouvir Olívia cantar. Daqui eu escuto o ato de solidariedade à beleza de uma turma que se comove com a delicadeza. Enquanto o menino Deus chora em meu ombro suas lágrimas gentis e douradas, prenhes de amor à música... eu retribuo em soluços espasmódicos de afeição. Meus pés, cansados do caminhar, dão asas aos sonhos que vivo enquanto ouço Olívia cantar. Com os olhos abertos à música que brota de sua garganta, com a amorosidade exprimindo sentidos inexplicáveis, admiro Olivia. Ao ouvi-la, desprego-me do chão que se abre e aponta caminho. Como se saboreasse um pastel de Santa Clara, com o gosto recendendo a vinho, eu ouço Olívia cantar. Vendo o mentecapto fechar os ouvidos para não ouvir a voz de Olívia, sinto pena do tal (não do ex-presidente, claro, pois dele não sinto pena, muito menos falta), pois mentecaptos nunca saberão o que perdem ao não se darem aos cantares de Olívia. Vejo o erê se esbaldar a festejar desabridamente, como é de sua natureza. E a voz de Olivia, em simetria com o meticuloso compasso, projeta no ar a candura de cantar– o cantar de Olívia! Louvo a ti e a teu Se Eu Te Eternizar, Olivia. Louvo também o Francis, que tem a ventura de respirar o mesmo ar que suspiras no canto do teu aconchego.

Aquiles Rique Reis
Nossos protetores nunca desistem de nós.

 

'Meu Melhor Amigo' (Francis e Olivia):



Tags: