ASSINE
search button

Notícias sobre o Poder Judiciário, advogados, ações, jurisprudências etc

Colunista

Luis Antonio Tranjan: o advogado que 'assassinou' o Bar Luiz

...

Reprodução do Facebook do Bar Luiz -
[Bar Luiz] O mais tradicional do Rio saiu de cena por conta de ganância jurídica
Compartilhar

O fim do Bar Luiz, o mais antigo e tradicional restaurante do Rio, que teve sua falência decretada, tem um grande responsável: Luis Antonio Jean Tranjan, ou “o bilionário advogado dos pobres”, como é popularmente conhecido nos corredores dos tribunais da Justiça do Trabalho.

Dono de dezenas de imóveis na Zona Sul do Rio, todos ganhos com ações trabalhistas onde Tranjan “comprou por 20% os direitos do reclamante”, amealhando com essa prática, segundo seus críticos e inimigos (que não são poucos), fortuna calculada em mais de R$ 1 bilhão. “Tranjan é um banqueiro que fez da Justiça do Trabalho sua fonte de enriquecimento, mas à custa da desgraça de dezenas de pequenos comerciantes”, declara um de seus críticos.

Essa critica ao "advogado dos pobres" Tranjan se comprova com a decretação, neste mês de novembro, da falência do Bar Luiz, e pelo suicídio de seu antigo proprietário, Bruno Kurowsky, cuja morte é atribuída exclusivamente a Tranjan.

Tudo começa há mais de 20 anos, quando Tranjan ganha ação trabalhista em nome de Francisco Rios, ex garçon que trabalhou por 10 anos no Bar Luis. Valor da ação: R$ 3 milhões!!! (processo n.0116000-95.1987.5.01.0031), sendo que 70% desse valor foram direcionados para quitar os honorários de Antonio Tranjan.

Como não havia dinheiro no caixa do Bar Luiz, Tranjan tomou todos os bens de Bruno Kurowsky: dois pequenos sítios que não valiam o valor da ação. Foi quando Bruno tomou a trágica decisão de dar fim à sua vida em decorrência das ações “ilegais e imorais” patrocinadas pelo “bilionário advogado dos pobres”.

“Tranjan não se satisfaz em ganhar ações. Ele pouco se importa com as consequências de suas ações, pois, segundo ele mesmo declara para amigos íntimos, sua "influência nos tribunais é imbatível”.

“O escritório de Luis Tranjan não negocia. Ele vence, mesmo que seja necessário assassinar valores e até mesmo pessoas que estiverem na frente de seus interesses, pois, repito, ele tem muito poder nos tribunais. Foi assim que Tranjan ficou bilionário”, disse um de seus desafetos.

E outro inimigo, que conhece de perto tudo o que aconteceu com o Bar luiz, declara: “nem o falecimento recente da esposa de Tranjan e o tratamento de um câncer da proprietária do Bar Luiz (viúva de Bruno Kurowsky) o sensibilizam: ele conseguiu mais um crime para sua carreira: Tranjan é o assassino confesso do Bar Luiz“.

“Certamente ele deverá passar na porta e chamar os ex-funcionários para carregar o "corpo" do estabelecimento para ser enterrado nos corredores da Justiça do Trabalho”, concluiu.