Site que incentiva traição corrige falha de segurança

O site Ohhtel, que incentiva a traição, ou relacionamentos extraconjugais, afirma ter corrigido aquilo que chamou de um "bug temporário". Segundo reportagem da Folha de S.Paulo desta quarta-feira, o serviço foi avisado pelo jornal que uma troca no número no endereço virtual do álbum do usuário permitia ver também suas fotos privadas. 

Um analista de sistemas teria entrado em contato com o site em 18 de agosto para comunicar o problema. Fundado nos Estados Unidos, o O Ohhtel tem 282 mil usuários no Brasil enquanto o Ashley Madison tem 130 mil.

Além da falha de segurança no Ohhtel, foram encontradas garotas de programa - ainda que seja proibido qualquer tipo de comércio de sexo - e homens que se cadastram como mulheres para usufruir da gratuidade dada às usuárias. Sobre a presença de garotas de programa e de perfis falsos, o Ohhtel e também o Ashley Madison, testados pela reportagem, afirmam contar com monitoramento de atividades suspeitas e com denúncias dos próprios usuários. Quanto aos homens, eles podem se cadastrar como mulher, mas ficam condicionados a só falar com homens por conta de uma orientação do site que permite a perfis masculinos falar com perfis femininos, enquanto perfis de mulheres só podem falar com homens.