Material orgânico em excesso causa morte de milhares de peixes em MS

 

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) confirmou, nesta sexta-feira, que a morte de milhares de peixes no rio Negro, município de Aquidauana (MS), ocorrida no início de fevereiro, foi ocasionada pelo fenômeno conhecido como "decoada", comum na região pantaneira.

Na decoada, a grande quantidade de material orgânico consume excessivamente o oxigênio do rio para sua oxidação. Com a variação da quantidade de água nos rios do Pantanal, esse fator contribui para morte dos peixes que ficam sem oxigênio.

De acordo o resultado do relatório, obtido através da análise de amostras da água, os níveis de oxigênio dissolvido nas águas do rio Negro, naquela ocasião, da superfície ao fundo, apresentaram índices extremamente baixos, menores que 2,0 mgO2/L., sendo considerada como valor mínimo a marca de 5,0 mgO2/L.

A temperatura da água desses ambientes também estava alterada, acima de 30°C, sendo que para não haver alteração no ecossistema a temperatura deve se manter entre 0°C e 30°C.