Tóquio confisca dados do Google sobre vídeo roubado

A Justiça japonesa confiscou nesta terça-feira, na sede do Google em Tóquio, os dados relacionados ao envio para o YouTube de um vídeo roubado, que mostra a colisão entre uma embarcação chinesa e um barco da Guarda Costeira japonesa, informou a emissora de televisão pública NHK.

As autoridades japonesas se recusaram a divulgar as imagens gravadas pela Guarda Costeira durante o incidente, ocorrido em 7 de setembro em um arquipélago no mar da China Oriental cuja soberania é disputada por Tóquio e Pequim.

Uma gravação de 44 minutos, supostamente pirateada a partir das gravações da Guarda Costeira, foi enviada em 5 de novembro para o YouTube.

A Justiça japonesa abriu uma investigação para identificar o culpado. Os documentos encontrados permitiriam localizar o computador de onde os arquivos foram enviados.

A filial japonesa do Google, proprietário do portal de vídeos, negou-se a comantar as informações da NHK, mas lembrou que sua política é colaborar com a justiça.

"Nós respeitamos a lei como qualquer outra empresa, e nos submetemos ao processo legal", mas "se recebermos uma ordem judicial ou uma intimação, precisamos comprovar sua legitimidade legal antes de acatá-la", explicou o Google Japan, em um comunicado enviado à AFP.