Equipe sul-coreana errou mas não manipulou clonagem, diz painel

REUTERS

SEUL - Cientistas da Coréia do Sul que tiveram a reputação prejudicada pelas fraudes nos estudos de células-tronco cometeram erros em um relato sobre a produção dos primeiros lobos cinzentos clonados do mundo, mas não manipularam dados, disse nesta sexta-feira um painel de investigação.

A equipe da Universidade Nacional de Seul, que já foi considerada heróica antes da vergonha causada pela fraude das células-tronco, estava sendo investigada devido a suspeitas de manipulação de dados para aumentar o sucesso da taxa de clonagem dos lobos.

- Concluímos que a equipe não precisava, nem pretendia inflar o índice de sucesso, disse Kuk Yang, chefe do departamento de pesquisa da universidade.

O erro no trabalho da equipe limitou-se a dados em uma tabela, mas uma investigação dos registros laboratoriais e de computadores indicam que houve erro honesto, e não tentativa de fraude, disse Kuk.

A equipe pediu para corrigir os relatos depois da descoberta do erro, afirmou.

"Clonagem e Células-Tronco", publicação dos Estados Unidos que divulgou o relatório da equipe sobre a clonagem de lobos, retirou o documento de seu site neste mês, esperando pelos resultados do painel de investigação da universidade.

O painel disse que os testes independentes também verificaram que a equipe produziu lobos cinzentos coreanos, que é uma espécie em risco.

O painel afirmou também que desde a produção dos lobos chamados Snuwolf e Snuwolffy, nascidos há cerca de um ano e meio, a equipe conseguiu produzir mais seis lobos coreanos. Três deles morreram.

A equipe era liderada por Hwang Woo-suk, que renunciou ao posto em dezembro de 2005, depois que a investigação inicial disse que o grupo inventou dados sobre a produção de células-embrionárias de pacientes específicos, em trabalho considerado na época um grande avanço.

Poucas semanas depois, o painel investigativo disse que outro relato de criação de células embrionárias continha fraude.

Hwang está sendo julgado por fraude, apropriação indébita e violação das leis de bioética do país.

A equipe produziu o primeiro cachorro clonado do mundo, em 2005, que foi confirmado por testes independentes. Os cães estão entre os mamíferos considerados mais difíceis para clonagem, por causa de seu ciclo reprodutivo.