Câncer pode crescer em países em desenvolvimento

REUTERS

OXFORD (GRÃ-BRETANHA) - Os países em desenvolvimento podem somar mais da metade de todos os casos de câncer no mundo em 2020 devido ao aumento da população idosa, afirmaram especialistas neste sábado.

Donald Maxwell Parkin, pesquisador sênior da Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, afirmou que a Ásia - que já registra a maioria dos casos de câncer no estômago e no fígado do mundo - pode somar cerca de 58% de todos os casos de câncer até 2020, e 65% de todos os casos até 2050.

- O crescimento populacional vai aumentar o número de casos - disse Parkin no Fórum Médico Lancet Asia, em Cingapura, acrescentando que a população idosa na Ásia deve quadruplicar até 2050.

Considerado no passado uma doença dos países ricos, o câncer vem afetando cada vez mais os países em desenvolvimento devido ao abuso do cigarro e do álcool, às dietas não saudáveis e à falta de exercícios, dizem os especialistas.

O acesso limitado à crucial tecnologia para o tratamento do câncer nesses países vai piorar a situação, afirmou Jacques Ferlay, funcionário da área de informática da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer, que faz parte da Organização Mundial da Saúde.

Ferlay disse que cerca de 30 países africanos e asiáticos atualmente não têm acesso aos serviços de radioterapia.

O cigarro deve provocar 1 bilhão de mortes no mundo no século 21, 10 vezes mais do que pode ter causado no século 20 segundo estimativas.

- O cigarro é a causa de câncer mais significativa e mais fácil de prevenir em todo o mundo, e há necessidade de agir imediatamente para diminuir suas consequências - afirmou.