Uma criança morre a cada minuto vítima de AIDS, afirmam especialistas

Agência EFE

BUENOS AIRES - A cada minuto um menor de 15 anos morre por causas relacionadas com a aids e quatro jovens contraem o vírus HIV no mundo todo, alertaram nesta sexta feira especialistas participantes do último dia do Quarto Fórum Latino-americano e do Caribe sobre a AIDS.

A cada dia 1.800 crianças menores de 15 anos morrem de infecções por HIV no mundo todo, 1.400 perdem a vida por doenças relacionadas a este vírus e mais de seis mil jovens entre os 15 e os 24 anos contraem a doença.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Programa das Nações Unidas Contra a AIDS (Unaids) afirmaram que estes alarmantes números se devem a fatores como o que aponta que na atualidade menos de 10% das mulheres grávidas - que são portadoras do HIV - recebem ajuda para evitar a transmissão vertical a seus recém-nascidos no mundo todo.

Além disso, menos de 10% das 15 milhões de crianças que ficaram órfãs ou que são vulneráveis à AIDS recebem assistência pública ou têm acesso a serviços de apoio. A isto se soma a falta de políticas educativas sobre prevenção, os tabus sociais que ainda hoje perduram em algumas regiões do planeta sobre o sexo e a discriminação em relação às mulheres.

Na África Subsaariana menos de um terço das mulheres de 15 a 24 anos possui informação completa sobre como evitar o contágio da doença e um de cada cinco jovens da América Latina defende a violência contra a mulher.

Uma pesquisa realizada no Uruguai pela ONG Iniciativa Latino-Americana evidenciou que a maioria dos jovens consultados assinalava que as características que toda mulher devia possuir eram "compreensão e delicadeza', assim como ser 'carinhosas' e 'boas mães'.

Já as jovens consultadas ressaltavam que os homens devem ser "trabalhadores', 'bons pais' e 'agressivos'.

Os números da América Latina e o Caribe fornecidos pela Unaids mostram que em 2005 havia 54 mil menores de 15 anos com HIV, sendo que seis mil morreram por causa da AIDS.

Nestas regiões, 40% dos contagiados pelo vírus são entre adolescentes e jovens, e menos de 30% das mulheres grávidas diagnosticadas com o HVI têm acesso aos serviços para prevenir a transmissão a seus filhos.

A Unaids acredita que se essa tendência continuar, em 2010 quase um milhão de crianças terá perdido um ou seus dois pais por causas relacionadas à AIDS.