Morcegos das cavernas de Laos podem revelar origem da covid-19

Morcegos que habitam as cavernas do norte de Laos transportam um coronavírus que compartilha uma característica importante com o Sars-Cov-2, dando pistas aos cientistas para desvendar a causa da covid-19

Foto: AFP / Menahem Kahana
Credit...Foto: AFP / Menahem Kahana

Uma equipe de pesquisadores do Instituto Pasteur da França e da Universidade de Laos buscava vírus similares ao que teria causado a covid-19 em centenas de morcegos-ferradura, segundo a Bloomberg.

Os pesquisadores encontraram três com características muito próximas, com parte do coronavírus aumentando a proteína de espícula usada para vincular ao receptor humano ACE-2, a enzima-alvo para causar a infecção.

O estudo, que foi publicado na sexta-feira (17) na revista Nature, mostra que o vírus está intimamente relacionado ao Sars-Cov-2 existente na natureza, inclusive em diversas espécies de morcego-ferradura.

A pesquisa apoia a hipótese de que a pandemia tenha iniciado a partir de uma propagação de um vírus transmitido por morcego.

Aproximadamente 1.000 infecções podem estar ocorrendo diariamente no sul da China e Sudeste Asiático em áreas com população densa de morcegos do gênero morcego-ferradura, aponta o estudo.

Os três vírus encontrados em Laos, denominados Banal-52, Banal-103 e Banal-236, são "ancestrais muito próximos do Sars-Cov-2", afirmou Marc Eloit, chefe da descoberta do patógeno no Instituto Pasteur em Paris.

"Estes vírus podem ter contribuído para a origem do Sars-Cov-2 e podem intrinsicamente representar um risco futuro de transmissão direta aos humanos", afirmou.

O vírus Banal-236 possui uma ligação aos receptores quase idêntica ao vírus pandêmico, indica o estudo.

"Este estudo é realmente interessante e nós precisamos mais pesquisas como esta", afirmou Maria Van Kerkhove, líder técnica para covid-19 da Organização Mundial da Saúde.

Os pesquisadores estudaram 645 morcegos de 46 espécies capturados em quatro locais entre julho de 2020 e janeiro de 2021.

Estes morcegos vivem em terrenos calcários cársicos comuns existentes na China, Laos e Vietnã na península Indochinesa. (com agência Sputnik Brasil)