Nova cepa da covid-19, a 'Mu' poderia resistir à proteção de certos anticorpos

A revelação é de Anthony Fauci, principal epidemiologista norte-americano. Autoridades sanitárias mantêm o olho na nova variante para ter a certeza de que não se tornará dominante

Reuters/Leah Mills
Credit...Reuters/Leah Mills

As autoridades sanitárias dos EUA continuam avaliando a ameaça que a variante Mu (B.1.621) do coronavírus pode representar, por existir suspeita de que a cepa seja capaz de resistir à proteção de alguns anticorpos, afirmou o principal epidemiologista norte-americano, Anthony Fauci, nesse domingo (5).

"A preocupação é que ela tem uma constelação de mutações que indicariam que pode escapar da proteção de alguns anticorpos", disse Fauci ao canal CBS.

O epidemiologista revelou que as autoridades seguem vigiando a nova variante para ter a certeza de que não se tornará dominante.

No entanto, Fauci disse que os Estados Unidos ainda não possuem dados suficientes para determinar a eficiência das vacinas existentes contra a variante Mu. Ao mesmo tempo, o epidemiologista destacou que a terceira dose de reforço acabou por ser "muito eficiente" contra todas as cepas estudadas.

Em qualquer caso, Fauci disse que, de momento, a cepa Mu não representa "uma ameaça imediata". As autoridades sanitárias norte-americanas "levam muito a sério" todas as variantes.

Em 30 de agosto, a Organização Mundial da Saúde colocou a variante Mu na lista das cepas de interesse, onde também estão a Iota, Kappa, Lambda e Eta. Isso significa que a cepa tem diferenças genéticas de outras variantes conhecidas e causa infecções em vários países e, por isso, pode representar uma ameaça especial para a saúde pública.

A cepa Mu foi registrada pela primeira vez na Colômbia em janeiro de 2021 e agora se espalhou por pelo menos 40 países. No entanto, é considerada atualmente responsável por apenas 0,1% das infecções em todo o mundo.(com agência Sputnik Brasil)