5G ampliará capacidade de inovação do agronegócio no Brasil, prevê especialista

Na terça-feira (11), o governo brasileiro anunciou a instalação da primeira antena de 5G em uma área rural do país

Folhapress / Ricardo Benichio
Credit...Folhapress / Ricardo Benichio

A novidade anunciada pelo governo brasileiro foi instalada na fazenda modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAnt), em Rondonópolis, no Mato Grosso. A antena foi instalada pela Nokia utilizando a tecnologia 5G standalone, também conhecida como 5G puro, gerada na própria estrutura.

A expectativa do governo é de que a tecnologia amplie a digitalização do agronegócio, melhorando o monitoramento das atividades e aumentando a competitividade dos produtos brasileiros.

Para Luiz Claudio Schara Magalhães, engenheiro, doutor em Computação pela Universidade de Illinois, e professor do Laboratório de Comunicação de Dados da Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense (UFF), a adição da tecnologia amplia o já avançado papel do Brasil no setor.

"A área da agricultura é uma área de alta tecnologia. O Brasil é um dos principais produtores de tecnologia na área rural, sendo a Embrapa conhecida mundialmente. A gente faz melhoria de sementes a gente faz a adaptação das plantas para o clima brasileiro. Então, é uma coisa realmente que usa bastante tecnologia", afirma o professor da UFF em entrevista à agência Sputnik Brasil.

O especialista explica que o 5G abre novas possibilidades de inovação para o campo brasileiro, melhorando o monitoramento de plantações e também as colheitas.

"A tecnologia de 5G, que traz banda larga para áreas grandes, ela ajuda nessa parte de monitoramento de comunicação no campo. Então, você, hoje em dia, tem colheitadeiras-robôs, por exemplo, que podem ser controladas remotamente, e você tendo 5G pode usar o 5G como tecnologia de comunicação para fazer esse tipo de controle remoto", aponta.

O avanço da tecnologia de comunicação tem o que o professor chama de "efeito multiplicativo". Segundo Magalhães, as vantagens não ficam apenas na produção do campo e se estendem também à logística do setor e, inclusive, às informações fornecidas ao consumidor.

O especialista cita, por exemplo, que cresce entre consumidores o desejo de saber mais sobre as condições de criação do gado e aponta que essa tecnologia facilita o fornecimento desse tipo de dado de transparência, assim como melhora o controle do produtor sobre os animais.

O professor da UFF aponta que o 5G é "uma evolução enorme", pois "aumenta muito a banda disponível", mas ressalta que sua implementação depende ainda de infraestrutura e explica que as possibilidades abertas pela tecnologia nem sequer são conhecidas.

"A tecnologia 5G permite esse uso da Internet, de tecnologia de comunicação de alta velocidade no campo. Então, ela realmente vai fazer uma grande diferença, mas acho que as coisas que ela vai possibilitar não conseguem nem ser vistas hoje em dia", diz.

Segundo o pesquisador, a tendência é que a partir da instalação da nova tecnologia aumente ainda mais a capacidade de inovação no campo.

"É aquele negócio, se você produz a tecnologia é como quando a Internet foi criada e a gente não sabia que ia ter Facebook, Amazon, essas coisas todas que a gente usa hoje em dia. [...] Vai instalar o 5G e vão aparecer coisas muito interessantes que aproveitam essa disponibilidade de maior banda no campo", conclui.(com agência Sputnik Brasil)